Virgin transforma Boeing 747 em lançador de foguetes

Aeronave será usada para levar veículos espaciais até a metade do caminho para o espaço; cada operação vai custar US$ 10 milhões
O 747 adaptada vai poder carregar foguetes de até 24 toneladas (Virgin Galactic)
O 747 adaptada vai poder carregar foguetes de até 24 toneladas (Virgin Galactic)

A Virgin vai cobrar US$ 10 milhões para lançar satélites ao espaço (Virgin Galactic)

A Virgin vai cobrar US$ 10 milhões para lançar satélites ao espaço (Virgin Galactic)

Lançar foguetes é uma das atividades mais caras do mundo. Além da tecnologia de precisão que envolve a construção dessas máquinas, há também um enorme custo com combustível. A Virgin Galactic, empresa aeroespacial gerenciada pelo bilionário Richard Brandson, apresentou o seu novo método para lançar satélites ao espaço: um Boeing 747.

A aeronave, o antigo 747-400 ‘Cosmic Girl’ da companhia aérea Virgin Atlantic Airways, será adaptada para carregar debaixo da asa esquerda o foguete LaucherOne, o veículo especial lançador de satélites que está sendo desenvolvido com investimento da Virgin.

Como explicou a companhia, para lançar o foguete o 747 precisa alcançar pelo menos 10 mil metros de altitude, onde o artefato pode ser liberado e acelerar por conta própria até entrar em órbita. Após cumprir sua tarefa no espaço, o foguete retornará a superfície com ajuda de paraquedas e poderá ser reutilizado em outros lançamentos.

A forma como a Virgin quer lançar satélites pode ser significativamente mais barata, mas vai poder trabalhar apenas com equipamentos pequenos. No site da empresa, o serviço já tem até preço: US$ 10 milhões para colocar em órbita um satélite de até 200 kg. O lançamento inaugural do LaucherOne, se tudo correr como o planejado, está previsto para 2016.

“A modificação vai reforçar a estrutura inferior das asas, que poderá suportar uma carga de até 24 toneladas. É uma margem significativa que vai permitir criar foguetes maiores e mais pesados”, afirmou John Couluris, diretor de sistemas de lançamento da Virgin Galactic, em comunicado da companhia.

Turismo espacial

Além do foguete LaucherOne, um projeto direcionado a empresas interessadas em lançar satélites de pequeno porte, a Virgin Galactic também está desenvolvendo uma nave espacial para turistas, a SpaceShipTwo.

A nave espacial turística da Virgin será lançada de um superavião (Virgin Galactic)
A nave espacial turística da Virgin será lançada de um superavião (Virgin Galactic)

A aeronave para passageiros-astronautas também vai viajar até o espaço com ajuda de um avião, o exótico WhiteKnightTwo. O projeto de turismo espacial da Virgin deve se tornar realidade até o final desta década. Os bilhetes custam US$ 1 milhão.

Total
0
Shares
2 comments
  1. Parabéns Virgin ! ….. Tenho a certeza que o Sir Richard Branson vai lançar vários satélites de comunicações , não de Televisão , mas essencialmente para que a Internet chegue aos países mais desfavorecidos GRATUITAMENTE ……. e ao resto do mundo a um preço mais acessível …… e com melhor qualidade ……porque os operadores têm sido muito GANANCIOSOS ! ……Talvez esses satélites possam cair no mar quando o seu combustivel acabar , para serem reutilizados e não irem para a ” lixeira ” do espaço , que deve estar superlotada ! …

  2. Parabéns Virgin ! ….. Tenho a certeza que o Sir Richard Branson vai lançar vários satélites de comunicações , não de Televisão , mas essencialmente para que a Internet chegue aos países mais desfavorecidos GRATUITAMENTE ……. e ao resto do mundo a um preço mais acessível …… e com melhor qualidade ……porque os operadores têm sido muito GANANCIOSOS ! ……Talvez esses satélites possam cair no mar quando o seu combustivel acabar , para serem reutilizados e não irem para a ” lixeira ” do espaço , que deve estar superlotada ! …
    Quanto às viagens ao espaço ….. isso é um sonho só para bilionários …. ou pelo menos ….. para milionários ! …

Comments are closed.

Previous Post
Os capacetes de "isolamento sensorial" da Airbus prometem aliviar o medo que passageiros tem de voar (EU Patents)

As estranhas patentes da Airbus

Next Post
O Boeing 747 SP podia voar por quase 13.000 km, o que permitiu a criação de novas rotas (Boeing)

Boeing 747 SP, o “Baby Jumbo”

Related Posts