A fábrica da Airbus nos EUA produz os modelos das família A320neo e A220 (Airbus)

Atual maior fabricante de aviões comerciais do mundo, a Airbus planeja aumentar suas atividades industriais nos EUA, a terra da Boeing. O grupo europeu anunciou que planeja aumentar a produção do A320neo na unidade em Mobile, no Alabama, passando de cinco para sete aeronaves finalizadas por mês a partir de 2021.

Como parte desse esforço, a Airbus gastará US$ 40 milhões para construir outro hangar de suporte em Mobile, elevando seu investimento total na planta norte-americana em mais de US$ 1 bilhão. A meta da fabricante é alcançar a capacidade de produzir 63 jatos da família A320neo por ano – a Airbus também produz os modelos da série A320neo na Alemanha, França e China.

A Airbus entregou o primeiro A320 fabricado em Mobile em 2016 e atualmente está recrutando mais funcionários para trabalhar na linha de montagem do A220 (ex-Bombardier CSeries), que começou a ser produzido nos EUA em agosto do ano passado – o primeiro A220 fabricado nos EUA está programada para ser entregue em abril à companhia Delta Air Lines.

De acordo com a Airbus, a fábrica no Alabama está no caminho para produzir mais de 130 aeronaves por ano, objetivo que deve ser concretizado até a metade desta década.

A linha de montagem do grupo europeu em Mobile foi concebida para atender principalmente companhias aéreas norte-americanas e assim ficar livre dos impostos de importação cobrados nos EUA para aeronaves comerciais produzidas na Europa.

Os EUA cobram tarifas de importação de 10% às aeronaves produzidas na Europa, mas não para importações de componentes usados para produzir novos aviões.

Desde 2016, sete empresas dos EUA já receberam os Airbus A320 “Made in USA”. São elas: American Airlines, Delta, JetBlue, Frontier, Spirit, Allegiant e a Hawaiian Airlines. Em junho, a fábrica da Airbus no Alabama deve alcançar a marca de 200 aeronaves concluídas.

O primeiro A320 americano será entregue a companhia Spirit Airlines (Airbus)

O primeiro A320 fabricado nos EUA foi entregue à companhia low-cost Spirit Airlines (Airbus)

“Esse aumento na produção de aeronaves comerciais em Mobile é uma expansão empolgante de nosso significativo investimento industrial nos EUA e dá continuidade a contribuição positiva da Airbus para a indústria aeroespacial americana”, disse Jeffrey Knittel, CEO da Airbus Americas.

“Investimos mais de US$ 1 bilhão em Mobile por causa da formidável equipe de funcionários que temos lá e por conta do apoio e boas-vindas que continuamos a receber da comunidade local e de líderes estaduais e do Congresso. Isso vai além dos empregos, incluindo o apoio a iniciativas educacionais e o desenvolvimento futuro da força de trabalho que impactará positivamente a comunidade nas próximas décadas ao longo da Costa do Golfo”, acrescentou Knittel.

Airbus nos EUA

Além de suas operações em Mobile, a Airbus também mantém uma série de outras atividades nos EUA, empregando aproximadamente 4.000 pessoas em 38 locais em 16 estados.

Entre suas outras instalações no país, a Airbus possui: um centro de engenharia no Kansas, instalações de treinamento da Flórida e Colorado; suporte de materiais e sede em Virgínia; um centro de inovação na Califórnia; linhas de montagem de helicópteros no Texas e Mississippi; um centro de pesquisas sobre drones na Geórgia; e uma fábrica de satélites (OneWeb Satellites) na Flórida.

Veja mais: Gol mantém esperança de receber 16 jatos 737 Max em 2020