Airbus assume liderança do mercado com 863 aviões entregues em 2019

Grupo europeu volta a ocupar a liderança do setor após passar sete anos consecutivos atrás da Boeing
Solução para manter Airbus envolveria a venda de até 600 jatos para os governos europeus (Airbus)
Dos 863 jatos entregues pela Airbus em 2019, cerca de 640 foram modelos de um corredor (Airbus)

Como já era esperado, a Airbus liderou a indústria aeronáutica em 2019 ao entregar 863 aeronaves comerciais, estabelecendo um novo recorde no setor e tomando a coroa da Boeing, informou a agência Reuters. O grupo europeu não ocupava a primeira colocação do mercado desde 2011.

Abalada pelo aterramento mundial do 737 MAX, que ainda segue em vigor, a Boeing entregou apenas 345 aeronaves entre janeiro e novembro de 2019, menos da metade do volume alcançado no mesmo período no ano retrasado (de 704 aeronaves), quando o MAX estava sendo entregue normalmente. Durante todo o ano de 2018, a fabricante norte-americana concluiu 806 aeronaves, seis a mais que a Airbus.

Esforço pelo recorde

A Airbus fez um enorme esforço no último trimestre de 2019 para alcançar sua meta de entregas, que foi revisada em outubro e reduzida entre 2% e 3%.

Funcionários nas fábricas do grupo europeu fizeram horas extras e também trabalharam durante feriados, incluindo o Natal e a véspera do ano novo, para concluir aeronaves semi-acabadas que aguardavam ajustes finais nas cabines de passageiros, como foi o caso dos jatos A321neo montados com um novo e complexo layout de interior em Hamburgo, na Alemanha.

E o trabalho extra da Airbus surtiu efeito: a fabricante encerrou o ano com um aumento de 7,9% nas entregas em relação ao resultado de 2018, quando entregou 800 aeronaves. O grupo europeu ainda não comenta sobre o números, que devem ser auditados antes de serem publicados oficialmente.

Segundo analistas do setor, esse trabalho fora de sequência pode ter um impacto modesto nas margens de lucro da Airbus, mas que pode ser reduzido pelo alto volume de aeronaves entregues – fabricantes aeronáuticos recebem a maior parte de suas receitas no momento em que entregam as aeronaves aos clientes, seja uma companhia aérea ou uma empresa de arrendamento.

Das 863 aeronaves entregues pela Airbus em 2019, cerca de 640 unidades correspondem por aviões de um corredor (jatos das famílias A220 e A320). A Boeing, por sua vez, não entrega uma aeronave dessa categoria desde março do ano passado, quando o 737 MAX foi proibido de voar após dois acidentes fatais.

A retomada da Boeing no mercado depende essencialmente da liberação do 737 MAX. Quando mais ele demorar a voltar ao serviço comercial, maior será a vantagem da Airbus.

Veja mais: 23 companhias aéreas pararam de voar em 2019

 

Total
30
Shares
Previous Post
(Boeing)

Aviação comercial teve o quinto ano mais seguro da história em 2019

Next Post

Primeiro Airbus A321neo da Azul entra em serviço nesta quinta-feira

Related Posts