O 4º protótipo do AW609 voou pela primeira vez no dia 23 e conta com uma a configuração de produção (Leonardo)

A Leornardo, fabricante aeroespacial italiana, comemorou na semana passada o voo inaugural do 4º protótipo do AW609, primeira aeronave tilt-rotor civil do mundo. A grande novidade desse modelo é o fato de ter sido fabricado já com as configurações finais de produção.

Agora, o AW609 entra na reta final de testes que levarão à certificação do modelo pela FAA, a agência de aviação civil dos EUA, que preparou uma nova categoria para esse tipo de aeronave, batizado de “Powered Lift” (algo como sustentação motorizada).

É justamente a falta de critérios que contribuiu para o atraso na entrada em serviço do AW609, combinada, é claro, aos problemas de desenvolvimento como o acidente com um dos protótipos. Até hoje apenas um tilt-rotor voa de forma regular, o V-22 Osprey, fabricado pela Bell e Boeing e utilizado pelas forças armadas dos EUA.

Ou seja, o AW609 será o primeiro tilt-rotor (rotores basculantes) a entrar em operação na aviação civil e por isso está pagando o preço do pioneirismo.

“A aeronave teve um ótimo desempenho, graças a todos os testes de plataforma e solo e ao trabalho realizado por nossas incríveis equipes de engenharia e produção. O novo layout da cabine da tela de toque realmente provou seu valor e a aeronave excedeu todas as nossas expectativas,” afirmou o piloto de teste da Leonardo, Dan Wells.

O grupo ERA, dos EUA, será o primeiro operador do tilt-rotor AW609 (Leonardo)

Mais de duas décadas em testes

Embora italiana, a Leonardo concentrou o desenvolvimento do AW609 em sua unidade na Filadélfia, nos EUA, potencial maior mercado para o modelo. Os dois primeiros exemplares de produção estão na linha de montagem e deverão ser entregues ao grupo ERA que os utilizará em diversas funções.

A Leonardo tem grande esperança no AW609, que é capaz de oferecer um desempenho superior a um helicóptero. Decolando com seus dois motores na vertical, a aeronave pode operar em helipontos e, ao girá-los para a posição horizontal, voar a velocidade de até 510 km/h em distâncias superiores a 2 mil km com nove passageiros a bordo. Entre suas possíveis aplicações, estão a operação em plataforma de petróleo, resgate e salvamento, ambulância aérea e o mercado corporativo.

Curiosamente, o projeto original do tilt-rotor foi iniciado em 1996 pela Bell e Boeing após o Osprey. Mais tarde, a Agusta (hoje parte da Leonardo) assumiu o lugar da Boeing e em 2003 o primeiro protótipo voou. Em 2011, no entanto, a Bell deixou o programa, que seguiu apenas com os italianos, já associados à Westland, que acabou incorporada ao grupo. Em 2015, após a queda do segundo AW609, o projeto teve de ser revisado e apenas dois anos depois os voos foram retomados. Tudo leva a crer que a novela do tilt-rotor está chegando ao fim.

A cabine do AW609 pode servir para o transporte aeromédico (Leonardo)

Veja também: Primeiro voo do V-22 Osprey completa 30 anos