O primeiro E195-E2 da Azul: mais cinco aviões em 2019 e outros 20 em 2020 (Thiago Vinholes)

A Azul Linhas Aéreas recebeu oficialmente na manhã desta quinta-feira (12) o primeiro jato E195-E2 de produção. A maior aeronave comercial já desenvolvida pela Embraer entrará em serviço na companhia aérea brasileira em outubro na rota Viracopos-Brasília inicialmente, mas a malha de voos deve se expandir rapidamente afinal a empresa espera receber outros cinco aviões em 2019 e 20 unidades em 2020.

À medida que a frota do E195-E2 cresce a Azul reduzirá a quantidade de unidades do E195-E1, de primeira geração. O objetivo é que até 2022 todos eles sejam vendidos ou arrendados. O motivo é simples: com mais lugares (136 assentos contra 118), o novo jato é capaz de ser mais econômico do que seu antecessor – são 25,4% a menos de consumo de combustível por assento.

David Neeleman, fundador da companhia, admitiu que a chegada do E195-E2 fará a companhia repensar rotas que hoje são inviáveis com a frota atual – o A320 é grande demais e o E195-E1 tem custo muito elevado de operação.

“Nos últimos 10 anos, a Azul revolucionou o mercado de aviação brasileiro. Ajudamos a dobrar o mercado doméstico, incluindo serviço aéreo a diversas regiões, cidades e comunidades que nunca tiveram voos antes, tudo graças às aeronaves Embraer E195-E1. Agora, com o E195-E2, estamos prontos para dar início a um novo capítulo na história da aviação brasileira. Não poderíamos estar mais orgulhosos de voar ainda mais alto com uma aeronave construída com tecnologia e inovação brasileiras”, afirmou Neeleman, hoje presidente do conselho da Azul.

Outra novidade prometida pela Azul é a oferta de wi-fi a bordo do jato da Embraer. Segundo John Rodgerson, presidente da companhia, a partir de janeiro os E195-E2 passarão a oferecer internet a bordo caso a ANAC os certifique a tempo.

O primeiro E195-E2 vai estrear na rota Viracopos-Brasília (Thiago Vinholes)

Destinos internacionais

Apesar de estrear pela Azul, o jato em questão, PR-PJN, pertence à AerCap, empresa de leasing que encomendou 50 aviões da nova família. Com um alcance de até 4.800 km, o maior jato da família E2 pode voar para qualquer destino dentro do Brasil. Rodgerson, inclusive, diz que ele pode ser usado nos voos com destino a Confins, Curitiba, Porto Alegre e Buenos Aires, provável primeiro destino internacional do novo avião.

“A entrega de hoje é uma ocasião muito importante”, disse John Slattery, CEO da Embraer Aviação Comercial. “É a maior aeronave comercial que a Embraer já produziu. Os passageiros vão adorar o novo interior, e as companhias aéreas vão se impressionar com a extraordinária eficiência operacional. O jato é, sem dúvida, ideal para o modelo de negócios de tarifas reduzidas da Azul e para o portfólio da frota da AerCap. Estou orgulhoso de toda a equipe da Embraer que trabalhou tão duro para ver esse dia.”

A Embraer aposta não só no menor consumo de combustível, mas também no aumento dos intervalos de manutenção, de 10 mil horas, segundo ela. Na prática, isso significa 15 dias a mais de utilização em um período de 10 anos se comparado ao E195-E1.

A Azul é a companhia aérea lançadora do modelo, com 51 encomendas firmes. A Embraer possui 124 unidades vendidas do E195-E2 e espera fechar contrato com a KLM para acrescentar mais 15 aviões à lista.

Com informações de Thiago Vinholes, São José dos Campos (SP).

Veja também: Embraer entrega primeiro KC-390 para a Força Aérea Brasileira

David Neleeman, John Rodgerson, John Slattery e Aengus Kelly (Embraer)