Bell revela helicóptero experimental com motorização híbrida

Modelo biturbina 429 recebeu quatro rotores de cauda movidos por motores elétricos
(Bell)
Já viu um helicóptero com quatro rotores de cauda? A Bell ainda não pensa em comercializar o novo sistema (Bell)

A fabricante norte-americana Bell Helicopter revelou nesta semana os primeiros detalhes do helicóptero experimental 429 com quatro rotores de cauda movidos por motores elétricos. A empresa chama a nova tecnologia de EDAT, sigla em inglês para sistema “Anti-torque Eletricamente Distribuído” (Electrically Distributed Anti-Torque).

O helicóptero equipado com o novo recurso voou pela primeira vez em maio de 2019, informou a Bell em 21 de fevereiro. A aeronave está sendo testada nas instalações da fabricante em Mirabel, no Canadá, e soma cerca de 25 horas de voo.

O sistema EDAT reduz os custos operacionais e de manutenção do helicóptero pois possui menos componentes mecânicos e também é mais silencioso. Além disso, por ser turboelétrico em vez de acionado por eixo, reduz as emissões de carbono da aeronave, garante a Bell.

A empresa americana ainda diz que os rotores de cauda elétricos podem ser controlados com maior precisão e agilidade que um sistema anti-torque convencional acionado por eixo de turbina. Outra vantagem do sistema apontada pela fabricante é a redução do peso total da aeronave.

“Resumindo, removemos todos os componentes mecânicos convencionais de torque, que são caixas de engrenagens, eixos de transmissão, cubos e pás do rotor de cauda e substituímos por quatro motores e fans elétricos”, Eric Sinusas, diretor de programa de aeronaves leves da Bell, à Verticalmag.

A Bell ainda não divulga quaisquer dados sobre o desempenho do helicóptero com o sistema EDAT, mas Sinusas afirmou que a reação dos clientes que viram o equipamento em ação foi positiva.

“Esta é a primeira vez que alguém no mundo faz isso, então o primeiro passo foi apenas para garantir que realmente funcione. E sim, funciona”, disse Sinusas. “Ainda vamos otimizá-lo e refiná-lo, mas o feedback do produto em sua configuração atual foi muito positivo”.

Os rotores EDAT são controlados por meio de pedais, como nos helicópteros tradicionais, mas a ligação dos comandos e os motores é totalmente elétrica (fly-by-wire). Além do sistema anti-torque e dos mecanismos de controle, a aeronave demonstradora permanece inalterada, usando um rotor principal convencional, motor e estrutura original.

“Estávamos analisando o que os clientes estão exigindo aeronaves e a segurança está obviamente sempre no topo da lista”, disse o diretor da Bell. “Esse sistema certamente atende a esses requisitos e possui algumas características interessantes que os rotores convencionais não possuem e, quando a aeronave está no solo, os rotores elétricos não estão rodando.”

A Bell iniciou os testes com o sistema EDAT em maio do ano passado, mas somente agora revelou o projeto (Bell)

Sinusas acrescentou que a redundância do equipamento é extensa e pode funcionar mesmo que três dos quatro rotores se tornem inoperantes.

O diretor do programa ressaltou que o foco do projeto até o momento tem sido a prova de conceito, em vez de otimizar seu desempenho, e a equipe não está trabalhando em um cronograma de comercialização. Sinusas disse ainda que o sistema EDAT pode ser adaptado em helicóptero maiores ou menores que o modelo 429.

Tendência no setor, a “eletrificação” da aviação para reduzir o consumo de combustível e emissões poluentes vai mudar radicalmente o formato dos aviões e helicópteros como conhecemos atualmente e isso não vai demorar para acontecer.

Veja mais: As diferentes versões do Airbus A380 que nunca saíram do papel

Total
59
Shares
Previous Post

Airbus A380 desativado pela Air France faz último voo antes de virar sucata

Next Post
(Airbus)

Companhia aérea da Itapemirim tem projeto cercado de incertezas

Related Posts