Boeing inicia produção do treinador avançado T-7A Red Hawk

Novo jato de treinamento vai ocupar o espaço deixado pelos veteranos T-38 Talon, operados nos EUA desde 1961
O Boeing/Saab T-7A Red Hawk: homenagem aos primeiros pilotos militares negros dos EUA (USAF)

Jato supersônico que servirá na formação de novos pilotos de caça da Força Aérea dos EUA (USAF), o treinador avançado T-7A “Red Hawk” começou a ser produzido na instalação da Boeing em St. Louis, no estado de Missouri. O desenvolvimento da aeronave conta com a participação da SAAB, da Suécia.

A Boeing destaca o projeto como o primeiro jato “eSeries”, desenvolvido e testado por meio de ferramentas digitais, o que segundo o fabricante “aumenta a qualidade de produção e reduz o tempo de montagem” da aeronave. A fabricante ainda não informou quando os primeiros aparelhos serão entregues à USAF.

Fruto do programa “T-X” iniciado em 2010, o Red Hawk vai ocupar o espaço deixado pelo veterano Northrop T-38 Talon, empregado pela força aérea americana desde 1961. A USAF pretende adquirir 341 exemplares do novo jato de treinador da Boeing/SAAB, avaliadas em US$ 9,2 bilhões. O primeiro protótipo da aeronave voou em dezembro de 2016.

O T-7A tenta seguir os passos do T-38, avião que deu origem ao caça F-5 Tiger II. A aeronave utiliza um motor GE F404 amplamente utilizado em outros jatos de combate como o F/A-18 e o treinador avançado sul-coreano KAI T-50.

Especula-se que, num futuro próximo, o Red Hawk pode servir de base para a criação de um novo caça leve supersônico e acessível, tal como foi na transição do T-38 para o F-5, jato de combate que no passado foi amplamente vendido para forças aéreas de nações aliadas dos EUA, como o Brasil – que opera os F-5 há mais de 45 anos.

Veja mais: Conheça os jatos de combate que já voaram com a FAB

Total
0
Shares
Previous Post

KLM recebe seu primeiro Embraer E195-E2

Next Post

Embraer admite conversas com Lufthansa por novo pedido de jatos

Related Posts