Boeing recebe luz verde dos EUA para oferecer caça F-15EX para a Índia

Nova variante do veterano avião de combate foi encomendada pela USAF no ano passado e incorpora vários avanços tecnológicos
Boeing F-15EX (Boeing)

A Boeing conseguiu aprovação do governo dos EUA para oferecer o novo F-15EX para a força aérea da Índia, numa concorrência que envolve a aquisição de 114 aeronaves.

O F-15EX é uma versão avançada do veterano avião de combate, que entrou em serviço há 45 anos na USAF. Os EUA decidiram encomendar o jato supersônico no ano passado, a despeito dos bilionários investimentos em programas mais modernos como o F-22 Raptor e o F-35 Lightnining II.

Até então, a Boeing planejava oferecer o versátil F/A-18E/F Super Hornet na concorrida disputa indiana, mas o tamanho do negócio e a quantidade numerosa de concorrentes teria feito a fabricante optar por participar com uma aeronave mais capaz.

Com a maior capacidade de transportar armamentos já vista num caça americano, o F-15EX será uma aeronave versátil, que poderá ser usada como interceptador (equipado com até 24 mísseis ar-ar) ou avião de ataque, incluindo armas hipersônicas.

“Agora que temos a licença de marketing, isso nos permite falar diretamente com a Força Aérea Indiana sobre a capacidade do caça. Começamos a fazer isso de uma maneira pequena ”, disse Ankur Kanaglekar, diretor da Boeing responsável pela negociação com o governo indiano.

Dassault Rafale - Força Aérea Indiana
Dassault Rafale da Índia (Tim Felce)

A Índia tem implementado um programa ambicioso de defesa com cifras que atingem US$ 20 bilhões. Os constantes desentendimentos com o Paquistão e a escalada armamentista da China têm motivado o governo a ampliar seu poderio bélico.

Até pouco tempo atrás, a força aérea indiana operava muitos caças russos e franceses como o MiG-29, Su-30 e o Mirage 2000, além de investir numa aeronave indígena, o HAL Tejas. O país também adquiriu recentemente o Dassault Rafale, que participa da nova concorrência.

A nova encomenda da Índia ocorre após o fim da parceria com do país com a Rússia em torno do caça Su-57, primeira aeronave furtiva da Sukhoi. Os indianos pretendiam adquirir até 214 unidades e produzi-lo no país como forma de absorver tecnologia, mas o acordo foi desfeito em 2018.

Além do F-15EX e do Rafale, estão na disputa o Saab Gripen, Eurofighter Typhoon, o MiG-35 e o F-21, uma variante especiamente desenvolvida pela Lockheed Martin com base no F-16.

Imagem do primeiro F-15EX na linha de montagem da Boeing em St. Louis (Boeing)

Veja também: Mitsubishi vai atualizar caças F-15 do Japão

Total
8
Shares
Previous Post
Embraer E195-E2 - Air Peace

Air Peace recebe o primeiro Embraer E2 da África

Next Post
Boeing 737 MAX 8 da TUI Airways; empresa tem 12 aeronaves do tipo na frota (TUI)

Boeing 737 MAX é autorizado a voar novamente na Europa

Related Posts