Boom obtém US$ 100 milhões para financiar avião comercial supersônico

Avião para 55 passageiros capaz de voar a mais de 2.700 km/h pode estrear na próxima década
O avião supersônico da Boom agora tem um nome: Overture (Divulgação)
O avião supersônico da Boom agora tem um nome: Overture (Divulgação)
O avião supersônico da Boom agora tem um nome: Overture (Divulgação)
O avião supersônico da Boom agora tem um nome: Overture (Divulgação)

A startup Boom Supersonic fechou sua segunda rodada de investimentos e conseguiu angariar US$ 100 milhões para financiar o desenvolvimento de seu avião comercial supersônico, agora batizado como Overture. A aeronave para 55 passageiros e projetada para voar a mach 2.2 (2.716 km/h) está programada para entrar em serviço na próxima década.

Com a nova injeção de capital a startup alcançou já alcançou um total de US$ 141 milhões, o que representa apenas uma fração do investimento necessário para completar a aeronave. A Boom, com sede em Denver, nos Estados Unidos, estima que o desenvolvimento do Overture custe cerca de US$ 6 bilhões.

A Boom já conseguiu os recursos para construir o demonstrador XB-1, que terá um terço do tamanho final do Overture. Essa etapa exigiu US$ 33 milhões. A construção do protótipo, porém, foi adiada, mas a fabricante afirma que o trabalho está em andamento e o modelo pode voar ainda neste ano.

“Os esforços de seleção estão em andamento para o local de fabricação do Overture, que iniciará o serviço de passageiros em meados dos anos 2020”, disse a Boom em comunicado, acrescentando que os clientes futuros incluem as companhias Virgin Group e a Japan Airlines.

A Boom ainda não selecionou o motor que será usado na aeronave – que será um trimotor – e reconheceu que está encontrando dificuldade para encontrar um propulsor que possa ser adaptado para fornecer o desempenho supersônico e atender aos limites de ruídos de aeroportos.

O projeto da Boom é o mais próximo de tornar novamente possível voos supersônicos na aviação comercial, algo que não acontece desde a aposentadoria do Concorde, em 2003. Outro projeto nesta mesma área é o Aerion AS2, mas este é projetado como aviação executivo para até 11 passageiros.

Veja mais: Aviação comercial vai exigir 1.000 aviões supersônico até 2035

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Odival
Odival
3 anos atrás

Vai impulsionar a volta do Concorde que é um projeto guardado e de sucesso da Air France; que teve a sua aposentadoria causada pelo trágico acidente no ano de 2000 na França, nem foi um defeito no avião mas uma peça de um DC-10 que tinha decolado minutos antes. Volta Concotde!!! Mach 2.1 e muita confiabilidade!!!

Dion Vieira
Dion Vieira
3 anos atrás

O Concorde não vai voltar, o acidente não foi o motivo dele sair de linha, foi apenas o prego no caixão, ele era muito barulhento, gastava absurdos de combustível e por isso era caro, muito caro. Caro de operar, caro de manutenção, caro pra voar. Então só era usado por uma minima parcela da população que tinha muito dinheiro e muita pressa. Aviões hoje mais que nunca precisam ser economicos em tudo, se isso não acontecer, nenhum supersonico vai vingar.

Previous Post
O primeiro A380 a estrear voos comerciais está estacionado na França, à espera de um novo operador (Tarmac Aerosave)

Sem novos operadores, dois A380 serão sucateados na França

Next Post

Boeing 747 ainda faz sucesso como avião de chefes de estado e monarcas

Related Posts
Total
0
Share