A Embraer foi criada em São José dos Campos no final dos anos 1960 (Divulgação)

A cidade de São José dos Campos em breve será conhecida como a “Capital Estadual da Indústria Aeroespacial – Capital do Avião”. O Projeto de Lei 495/2019 para sancionar o título para o município, de autoria da deputada estadual Leticia Aguiar (PSL-SP), recebeu parecer favorável na Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) nesta quarta-feira (20).

“Por todo o histórico da cidade, receber o título já seria um importante reconhecimento, mas esse projeto de lei também tem o objetivo de chamar a atenção do Estado Brasileiro para a necessidade de incentivo e capacitação da indústria aeroespacial brasileira para a competição global, além de fomentar o desenvolvimento tecnológico e impulsionar o setor no município, que é responsável pela geração de emprego e renda para a cidade e toda a região ”, explicou deputada estadual Leticia.

A proposta ainda precisa ser analisada por mais duas Comissões da Alesp antes de ser aprovada, conforme manda o regimento interno.

Maior cidade na região do Vale do Paraíba no interior de São Paulo, São José dos Campos responde atualmente por 95% da cadeia produtiva da indústria aeroespacial e de defesa no Brasil. Esse cenário mostra que dificilmente o município perdera espaço para outra localidade nesse segmento.

“Vamos formalizar uma realidade! São José, para nós, já é o centro tecnológico do país e merece, por direito, ser a Capital Estadual da Indústria Aeroespacial”, disse a parlamentar ao apresentar o projeto de lei que garante essa nomenclatura ao município.

A vocação de São José dos Campos para a aviação vem de longa data. Em 1950, foi instalado na cidade o Centro Técnico Aeroespacial (CTA), atual DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial) e o (ITA) Instituto Tecnológico de Aeronáutica, além do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) em 1961. Estudos iniciados por essas instituições culminaram com a criação da Embraer, fundada em 1969 e hoje a terceira mais fabricante de aviões do mundo.

De acordo com a deputada do PSL, o setor aeroespacial e de defesa brasileiro vive a expectativa de um longo período de oportunidades com a nova empresa criada entre a Boeing e a Embraer, que deve ser formalizada em março de 2020.

“Este pedido tem também o objetivo de chamar a atenção do Estado Brasileiro para a necessidade de incentivo e capacitação da indústria aeroespacial brasileira para a competição global. E mostrar ao mundo que é em São José dos Campos, que se desenvolve o “estado da arte” em tecnologia para o setor”, finalizou a parlamentar.

Além da Embraer, outras empresas brasileira do setor aeroespacial e de defesa baseadas em São José dos Campos são a Avibras, Akaer, Airship, Novaer e a ACS Aviation.

Veja mais: Primeiro E175-E2 é flagrado na fábrica da Embraer