Conviasa incorpora segundo Airbus A340 em sua frota

Companhia aérea estatal venezuelana recebeu em dezembro A340-300 de segunda mão com 23 anos de uso
Os dois A340 e os 16 E-Jets da Conviasa (Divulgação)

A companhia aérea estatal Conviasa recebeu um A340-300 no dia 31 de dezembro, conforme havia anunciado em 2020. É o segundo quadrimotor da Airbus a fazer parte da frota da empresa e que estava em manutenção no Irã antes de seguir para Caracas, capital da Venezuela.

Agora, a Conviasa passa a contar com dois A340, além de 16 Embraer E190 usados nas rotas de curto alcance. A companhia aérea, que sucedeu a Viasa (falida em 1997) tem operado apenas um A340-200, um dos primeiros modelos a serem fabricados e que já conta com mais de 27 anos.

O A340-300 que acaba de ser recebido também já esteve registrado na Venezuela, na companhia aérea Avior Airlines, onde operou entre 2016 e 2019. Originalmente, a aeronave foi entregue para a Air China em novembro de 1997 e chegou a voar pela Cathay Pacific.

A frota de A340 tem sido aposentada nos últimos anos por conta do alto custo de operação. Ao contrário do “irmão” bimotor A330, o quadrijato teve apenas 377 aviões produzidos dos quais 223 estão em serviço, segundo a Airbus. Enquanto isso, o A330 de primeira geração acumulava 1.454 unidades entregues até dezembro, das quais 1.380 estão ativas, demonstrando a eficiência do modelo.

Por conta dos embargos impostos pelos EUA e outros países ocidentais, a Conviasa tem tido dificuldades em adquirir aviões mais novos. Os 16 E-Jets foram negociados num período em que o governo brasileiro era simpático ao presidente Nicolás Maduro.

A Conviasa pretende relançar os voos entre Caracas e Moscou e também Teerã, destinos cujos países apoiam o regime bolivariano. O A340-300 também deve contribuir para aumentar o transporte de carga da empresa estatal, em alta por conta da pandemia.

Em declarações no ano passado, o presidente da companhia aérea revelou o interesse em adquirir três A340-500, variante de maior capacidade e alcance do widebody da Airbus.

O presidente Nicolás Maduro e maquete de avião da Conviasa: estatal tomou lugar da Viasa

Veja também: Entregas de aviões comerciais da Airbus caíram 34% em 2020

Total
17
Shares
Previous Post
ATR 42-500

“Embraer da Turquia” também cogita fabricar turboélice comercial

Next Post

Força Aérea Francesa recebe primeiro Mirage 2000D modernizado

Related Posts