“Embraer da Turquia” também cogita fabricar turboélice comercial

Em entrevista, presidente da Turkish Aerospace Industries demonstrou interesse em “fabricar na íntegra” um novo turboélice de passageiros, com ou sem parceiros
ATR 42-500
(ATR)

Principal empresa aeroespacial da Turquia, a Turkish Aerospace Industries (TAI) indicou que pode ingressar no mercado de aeronaves turboélices de passageiros.

Em entrevista ao ATN, o CEO da TAI, Temel Kotil, disse que a companhia está estudando a viabilidade de produzir um turboélice comercial para 70 a 90 passageiros, com ou sem parceiros externos.

“Vemos uma necessidade crescente de aeronaves turboélice e gostaríamos de fabricar na íntegra um produto completo, mas sem excluir as parcerias. Estamos estudando turboélices de 70-90 assentos e a inteligência de controle de voo terá um papel importante”, afirmou Kotil.

O executivo turco revelou que a TAI já tem conversas com um possível parceiro para dividir as tarefas do projeto. “Ainda não é sólido, estamos conversando com o parceiro em potencial, mas nossa ênfase é (fabricar) novas aeronaves.”

Como se sabe, a Embraer é uma das empresas que cogita lançar um turboélice comercial de última geração. Executivos da fabricante, contudo, frisaram repetidas vezes em entrevistas que um projeto desse porte exige a participação de parceiros. Que tal uma ajuda dos turcos?

Concepção artística do novo turboélice de passageiros da Embraer (Embraer)
Concepção artística do novo turboélice de passageiros da Embraer (Embraer)

“Faz tudo” da Turquia

Embora seja uma companhia relativamente nova, a Turkish Aerospace, fundada em 2005, tem um invejável catálogo de produtos e serviços nas aéreas de aviação civil e militar.

A empresa é a principal mantenedora da força aérea turca, fornecendo programas de manutenção e atualização para a frota local de caças F-16 e cargueiros C-130 Hercules, entre outras aeronaves.

A TAI também produz o avião de treinamento e ataque leve Hürkuş (por sinal um competidor do Embraer Super Tucano) e oferece um variado menu de drones de vigilância e ataque, todos eles empregados pelas forças armadas da Turquia.

"Tucano turco": o Hürkuş é empregado como avião de treinamento e ataque leve (TAI)
“Tucano turco”: o Hürkuş é empregado como avião de treinamento e ataque leve (TAI)

A Turkish tem ainda uma importante atuação no ramo dos helicópteros. A empresa está desenvolvendo o helicóptero utilitário de uso civil e militar T625 Gökbey e produz os modelos T70 (versão local do tradicional Sikorsky UH-60 Black Hawk) e o T125 ATAK (versão turca do helicóptero de ataque Agusta A129 Mangusta), que já foi demonstrado ao Exército Brasileiro.

No mercado civil, a TAI é uma bem-sucedida fornecedora de aeroestruturas e componentes para jatos de passageiros. Airbus e Boeing, por exemplo, são grandes compradores de produtos da companhia turca, que produz seções de fuselagem e painéis de asas para uma série de aeronaves das duas empresas. A Turkish também fornece itens para jatos executivos da Gulfstream.

O T625 Gökbey é uma das grandes apostas da Turkish Aerospace  (TAI)

O próximo grande passo da fabricante turca é o programa TF-X, que prevê o desenvolvimento local de caça furtivo de quinta geração. O primeiro voo da aeronave está programado para 2023, ano em que será celebrado o centenário da República da Turquia.

Veja mais: Entregas de aviões comerciais da Airbus caíram 34% em 2020

Total
28
Shares
Previous Post
Boeing 737-500 Sriwijaya Air (PK-REN via Wikimedia Commons)

Boeing 737 cai na Indonésia com 62 ocupantes a bordo

Next Post

Conviasa incorpora segundo Airbus A340 em sua frota

Related Posts