FAB-2854: segundo KC-390 da FAB já está na Base Aérea de Anápolis (Embraer)

A Embraer entregou nesta sexta-feira (13) a segunda aeronave de transporte multimissão KC-390 à Força Aérea Brasileira (FAB). O avião, matrícula FAB-2854, decolou da sede da fabricante em Gavião Peixoto, no interior de São Paulo, e já se encontra na Base Aérea de Anápolis (Ala 2), em Goiás, onde será operado pelo Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1° GTT).

O primeiro KC-390 foi recebido pela FAB, que encomendou 28 aeronaves, em setembro deste ano. Todos os aviões devem ser entregues até 2024. Outro país que também comprou o novo jato militar da Embraer foi Portugal, que é um dos parceiros estratégicos do programa – Argentina e República Tcheca também participam do projeto.

A entrega dos primeiros KC-390 é a materialização do projeto iniciado pela Embraer em parceria com a FAB em 2009, embora tenha acumulado três anos de atraso. A demora ocorreu por conta da crise econômica, que fez o governo atrasar os pagamentos para o desenvolvimento do avião, e um grave incidente, em novembro de 2017, no qual primeiro protótipo da aeronave ficou danificado e foi afastado temporariamente da campanha de testes.

Posteriormente, em maio de 2018, esse mesmo protótipo do KC-390 sofreu uma excursão de pista e ficou irrecuperável. Para não afetar a campanha de certificação, a Embraer terminou os testes utilizando a primeira aeronave de série da FAB, modelo hoje matriculado como FAB-2853. O avião recebeu a certificado da Agência Nacional de Aviação Civil em outubro do ano passado.

A FAB deve receber os 28 KC-390 encomendado até meados de 2024 (Embraer)

Avião Multimissão

O objetivo da FAB ao adquirir o KC-390 é substituir a antiga frota de turbo-hélices Lockheed Martin C-130 Hercules, que operam no Brasil desde 1964. O avião da Embraer foi projetado para cumprir as mesmas missões do antigo cargueiro norte-americano, mas com desempenho e capacidades superiores.

O KC-390 supera o Hercules em velocidade máxima (870 km/h contra 660 km/h), altitude de voo (11 mil metros contra 8.600 m) e capacidade de carga (26 toneladas contra 22,6 ton). Já o alcance da aeronave varia de acordo com a carga que ela transporta: voando vazio o cargueiro da Embraer é capaz de percorrer 6.130 km e carregando 26 toneladas a autonomia é reduzida para 2.820 km.

Segundo dados da Embraer, o KC-390 pode transportar até 80 soldados (ou 64 paraquedistas), três veículos blindados ou um helicóptero Black Hawk H-60. Entre as missões que o avião pode cumprir estão lançamentos aéreos de cargas, combate a incêndios, evacuação médica, busca e salvamento e reabastecimento em voo.

Boeing vai ajudar a vender o C-390

Nomeado recentemente como C-390 Millennium, o jato militar é um produto da Embraer Defesa & Segurança, divisão da Embraer que não será vendida à Boeing. Entretanto, as duas fabricantes vão criar no próximo ano a joint venture “Boeing Embraer – Defense” para oferecer suporte de manutenção e promover a venda da aeronave em outros países. Nesse negócio a Embraer terá 51% de participação e o restante ficará com a Boeing.

C-390 Millennium: o jato de transporte da Embraer ganhou novo nome na parceria com a Boeing (Embraer)

Além de suprir a necessidade da FAB, a Embraer também nutre grandes expectativas com o C-390. A fabricante quer transformar seu novo cargueiro militar em referência no segmento hoje dominado pelo C-130 Hercules, que está no mercado desde a década de 1950 e soma mais de 2.700 unidades produzidas.

Veja mais: Novo jato E175-E2 da Embraer completa primeiro voo