O primeiro A320 americano será entregue a companhia Spirit Airlines (Airbus)

O primeiro A320 produzido nos EUA foi entregue à Spirit Airlines (Airbus)

A primeira instalação de produção de aeronaves comerciais da Airbus nos EUA completou cinco anos de atividades nesta segunda-feira, 14 de setembro. Segundo o grupo europeu, a unidade em Mobile, no estado do Alabama, entregou mais de 180 jatos das famílias A320 e A320neo desde 2015.

A fábrica da Airbus nos EUA serve essencialmente para atender companhias aéreas do país. De acordo com a fabricante, todos os A320 “Made in USA” produzidos até o momento foram adquiridos por oito empresas norte-americanas. Nos últimos cinco anos, esses jatos percorreram mais de 800 milhões de quilômetros e transportaram 60 milhões de passageiros.

“Quando anunciamos nossa intenção de construir aeronaves da família A320 nos Estados Unidos e localizar essa instalação em Mobile, Alabama, também declaramos nossa intenção de ser um bom vizinho, criar empregos e oportunidades e ajudar a fortalecer o setor aeroespacial dos EUA. Cinco anos depois, nos tornamos um importante impulsionador econômico na criação de um centro aeroespacial na Costa do Golfo”, disse C. Jeffrey Knittel, presidente e CEO da Airbus Americas.

Nos últimos cinco anos, a Airbus investiu quase US$ 1 bilhão na unidade de Mobile. A planta começou as atividades com uma força de trabalho inicial de 250 funcionários, número que foi quadruplicado em cinco anos. A unidade no Alabama também está sendo preparada para abrigar uma linha de montagem adicional da família A220 (ex-Bombardier CSeries).

Airbus avança nos EUA

Toda vez que uma companhia aérea dos EUA encomenda aviões da Airbus, a Boeing sente o golpe. É um pedido que ela deixa de receber e justamente de uma companhia compatriota, o que mexe com os sentimentos dos americanos e a economia do país, reduzindo as atividades de uma enorme cadeia de produção com milhares de trabalhadores.

Fábrica da Airbus em Mobile, nos EUA

Inaugurada em 2015, a fábrica da Airbus em Mobile emprega atualmente mais de 1.000 funcionários (Airbus)

Para evitar esse efeito e proteger a Boeing, Washington elevou os impostos para a compra de aeronaves importadas da Europa e fabricantes europeus passaram a pagar taxas mais altas na aquisição de componentes importados dos EUA.

Para evitar a sobretaxa na venda de seus aviões para clientes norte-americanos, a Airbus ergueu a fábrica no Alabama. O movimento do grupo europeu para evitar os impostos tem como contrapartida a geração de empregos nos EUA e movimenta a cadeia produtiva no país.

De acordo com a Airbus, a fábrica em Mobile causou um impacto econômico total de US$ 1,2 bilhão no estado do Alabama e criou mais de 15.000 empregos na região desde 2015.

“As conquistas da equipe de fabricação da Airbus US nos últimos cinco anos são apenas o começo. Temos o orgulho de chamar a Mobile de nossa casa americana de fabricação de aeronaves e esperamos muitos anos de parceria com a comunidade, nossos clientes e fornecedores”, acrescentou Knittel.

Além da fábrica de aviões comerciais no Alabama, a Airbus também mantém nos EUA linhas de montagem de satélites e de helicópteros e centros de engenharia e treinamento.

Veja mais: Bombardier inicia produção do último jato da família CRJ