Jato de passageiros chinês ARJ21 se aproxima de 100 aeronaves entregues

COMAC acelerou entregas em 2022, com ao menos 26 unidades concluídas, o dobro de modelos E2 entregues pela Embraer neste ano
ARJ21-700 da Air China (AppleSteveGao)

A COMAC, principal fabricante de aeronaves comerciais da China, está prestes a completar uma centena de jatos ARJ21-700 entregues. Segundo registros do Planespotter, a aeronave de 90 lugares já teve 97 unidades concluídas, incluindo 10 que estão registradas com a própria companhia.

Em 2022, há pelo menos 26 registros de entregas do jato bimotor, o primeiro considerado como projetado pela China – o ARJ21, no entanto, se “inspira” fortemente nos modelos MD-90 dos EUA.

O movimento de entregas na fábrica da COMAC em Xangai neste trimestre foi intenso. Até o momento, 15 aeronaves foram entregues a clientes como Air China, Chengdu Airlines, OTT Airlines e China Express Airlines.

Como se nota, todas elas transportadoras chinesas, ligada ao governo comunista, que determina quais aviões elas deverão utilizar, mas houve o primeiro envio de um ARJ21 para um cliente fora do país, a TransNusa, da Indonésia.

O primeiro ARJ21 exportado (COMAC)

O “patrocínio” estatal explica o sucesso do ARJ21 após anos de lento desenvolvimento, mas não deixa de ser uma situação preocupante para concorrentes ocidentais.

Com um dos maiores mercados de viagens aéreas do mundo, a China é prioridade para a Airbus, Boeing e Embraer, porém, o cenário promete ser difícil nos próximos anos. Além do ARJ21, também o C919, com 168 assentos, deverá seguir um caminho semelhante, com centenas de encomendas de empresas aéreas chinesas.

Mesmo que dependa apenas do mercado doméstico, a COMAC deverá assumir o posto de terceiro maior fabricante de aeronaves comerciais no mundo, desbancando a Embraer.

Embraer deve ser superada como 3ª maior fabricante de aviões comerciais (Embraer)

O ARJ21, cujo primeiro avião foi entregue em junho de 2016, já supera com folga o total de jatos E2 da fabricante brasileira, que até a semana passada somava 66 aeronaves enviadas aos clientes – incluindo jatos que estão registrados em nome da companhia, por questão de isonomia com os números da COMAC.

Neste ano, a COMAC entregou o dobro de ARJ21 se comparado aos E2 – foram 13 E195-E2 entregues, incluindo dois para a Porter Airlines.

A Embraer ainda mantém vantagem por conta do E175, popular versão da 1ª geração de grande aceitação nos EUA, mas com o ritmo de produção em aceleração e o início de entregas do C919, a COMAC certamente abrirá vantagem nos próximos anos.

Operador ARJ21-700
COMAC 10
Chengdu Airlines 28
Air China 13
OTT Airlines 15
Jiangxi Air 5
Genghis Khan Airlines 5
China Southern Airlines 14
China Flight General Aviation Company Limited 2
China Express Airlines 5
Total 97

Total
0
Shares
6 comments
  1. Competição desigual de empresa chinesa estatal de um país com população de bilhões de pessoas contra uma empresa privada do Brasil. A matéria precisa enaltecer a Embraer pelo que tem feito neste acirrado mercado. Será que vai fazer comentários semelhantes com o cenário que se aproxima na disputa da China com os modelos Airbus e Boeing??

  2. Comparar a COMAC estatal, re-fabricando um avião dos anos 70 e vendendo para aéreas estatais chinesas com a EMBRAER é no mínimo sem noção.

  3. Não estou entendendo a reação de alguns leitores em relação a matéria, que é sensata e bem informativa. Apenas mostra a realidade do avião chinês dentro do seu mercado.

Comments are closed.

Previous Post

Gigantes A380 e 747 afetados por problemas de segurança

Next Post

Após acordo, greve dos aeronautas é encerrada

Related Posts
Total
0
Share