LATAM terá voo sazonal entre Curitiba e Santiago do Chile a partir de abril

Rota será operada pela divisão chilena três vezes por semana com jatos A320, incrementando movimento internacional do aeroporto paranaense
Airbus A320 da LATAM (Carlos Daniel Dobelli/Wikimedia)
Airbus A320 da LATAM: voo Curitiba-Santiago do Chile (Carlos Daniel Dobelli/Wikimedia)

A LATAM deve anunciar oficialmente seu novo voo internacional a partir do Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba. Trata-se de uma frequência sazonal que ligará a capital paranaense a Santiago do Chile com três voos semanais. Segundo informações do site RoutesOnline, a nova rota terá início em abril e deverá se encerrar no começo de setembro.

O voo entre Curitiba e Santiago será operado pela divisão chilena que usará jatos Airbus A320. As três frequências serão operadas às segundas, quartas e sextas com decolagem da capital chilena às 15h27 e pouso no Brasil às 19h40. O retorno se dá às 20h30 com chegada no Chile às 23h00, todos horários locais.

A informação de que a LATAM pretendia lançar a nova rota foi divulgada em agosto do ano passado quando a companhia aérea assinou um acordo com o governo paranaense para ampliar sua atuação no estado com 70 voos, entre frequências nacionais e internacionais. Como compensação, a empresa pode aderir ao programa Voe Paraná, que concede uma redução de 18% para 7% na alíquota do ICMS sobre o querosene, uma prática que tem sido comum em vários outros estados a fim de estimular o aumento da malha aérea. Na ocasião, no entanto, a nova ligação não foi detalhada.

Movimento internacional

Afonso Pena é atualmente o 12º aeroporto mais movimentado do país, porém, possui pouquíssimos voos internacionais. Atualmente, apenas a Aerolíneas Argentinas realiza um voo diário para Buenos Aires enquanto a Paranair liga a capital paranaense à Assunção, no Paraguai. Curitiba, no entanto, já foi atendida inclusive pela American Airlines que oferecia um voo para Miami via Porto Alegre até o início de 2016.

A crise econômica acabou afetando a demanda, mas a falta de infraestrutura no aeroporto, que possui pistas curtas para a operação de widebodies em rotas de longo alcance, também tem sido um entrave para a ampliação da malha internacional.

Mesmo o tráfego de carga, já bastante significativo, poderia ganhar com isso, porém, o aeroporto deverá entrar nas próximas rodadas de concessões, já que é um dos últimos a permanecer nas mãos da Infraero. A estatal realizou algumas obras de ampliação nos últimos anos, mas sem incluir qualquer projeto de estender uma de suas pistas.

Boeing 767-300 em Curitiba: voo durou cerca de três anos, mas foi cancelado em 2016 por conta da baixa demanda (Emerson de Souza/Prefeitura de Curitiba)

Veja também: LATAM planeja voar diariamente entre São Paulo e Joanesburgo

 

 

Total
1
Shares
Previous Post

Azul acelera chegada de novos jatos da Embraer e freia recebimento de A320neo

Next Post
Mitsubishi MRJ realiza primeiro teste de táxi

Mitsubishi adia entrega do primeiro SpaceJet pela sexta vez

Related Posts