Marinha do Paquistão incorpora o primeiro Embraer Lineage 1000, que será avião de patrulhamento marítimo

Aeronave executiva foi adquirida usada e será convertida pela Leonardo para substituir os velhos turboélices P-3 Orion. Projeto não envolve a empresa brasileira
O primeiro Lineage 1000 que será convertido para a função de patrulhamento marítimo no Paquistão (Marinha do Paquistão)

A Marinha do Paquistão recebeu oficialmente seu primeiro jato Lineage 1000E na semana passada, em cerimônia na estação naval PNS Mehran, em Karachi. O aeronave executiva da Embraer será convertida nos próximos meses para o papel de patrulhamento marítimo, responsabilidade da italiana Leonardo com o apoio de outras empresas.

O Lineage foi comprado usado e voava até então na China. Na imagem com os oficiais da Marinha paquistanesa, o jato brasileiro ainda ostenta a pintura de uso civil, apenas com os emblemas militares aplicados.

O projeto de transformação do jato executivo, que é uma variante baseada no E190 de passageiros, não conta com a participação da Embraer. O governo paquistanês decidiu escolher o Lineage como célula para o programa Long Range Maritime Patrol (Patrulha Marítima de Longo Alcance), que será chamado de ‘Sea Sultan‘ (Sultão dos Mares), sem consultar oficialmente a empresa brasileira.

Para convertê-lo para a nova função foram selecionadas a Leonardo, que fornecerá toda a parte eletrônica, e uma empresa sul-africana, que fará a revisão da aeronave e algumas adaptações necessárias. Não há um prazo claro sobre quanto o Lineage começará a ser preparado para a nova missão.

Lockheed P-3C - Marinha do Paquistão
P3-Orion do Paquistão (Asuspine)

A Leonardo tem experiência em adaptar aeronaves civis para funções de guerra marítima, tendo feito esse trabalho com turboélices C-27J Spartan e ATR 42 e ATR 72. No entanto, pelo ineditismo do projeto, acredita-se que o programa levará tempo para ser concluído.

A Marinha do Paquistão pretende converter 10 aeronaves Lineage para essa função e que substituirão os antigos P-3 Orion atualmente em serviço. Os detalhes técnicos do projeto também não são conhecidos até aqui. Certamente serão incluídos sensores MAD, equipamentos de guerra eletrônica, reconhecimento e um sistema de armamentos compatível.

A solução paquistanesa contrasta com a vizinha Índia, que decidiu encomendar o P-8 Poseidon, aeronave de patrulhamento marítimo baseada no Boeing 737-800 e que tem obtido uma boa aceitação no mercado.

Total
471
Shares
5 1 vote
Article Rating
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nelson Daher Junior
Nelson Daher Junior
15 dias atrás

A Embraer poderia desenvolver um jato ou turboélice para esta função de patrulha marítima de longo alcance a partir desta versão do Lineage 1000E, a fim de oferecer um opção ao P-3 Orion turboélice e ao jato P-8 Poseidon usado para esta função em alguns países? Ou o mercado tem opções com custo mais competitivo e quais seriam os jatos e turboélices mais competitivos par patrulha marítima de longo alcance?

Previous Post

Boeing não consegue retomar entregas do 787 Dreamliner

Next Post

Sombra do A321neo? Ryanair suspende negociação com a Boeing por 250 jatos 737 MAX 10

Related Posts