Marinha do Paquistão incorpora o primeiro Embraer Lineage 1000, que será avião de patrulhamento marítimo

Aeronave executiva foi adquirida usada e será convertida pela Leonardo para substituir os velhos turboélices P-3 Orion. Projeto não envolve a empresa brasileira
O primeiro Lineage 1000 que será convertido para a função de patrulhamento marítimo no Paquistão (Marinha do Paquistão)

A Marinha do Paquistão recebeu oficialmente seu primeiro jato Lineage 1000E na semana passada, em cerimônia na estação naval PNS Mehran, em Karachi. O aeronave executiva da Embraer será convertida nos próximos meses para o papel de patrulhamento marítimo, responsabilidade da italiana Leonardo com o apoio de outras empresas.

O Lineage foi comprado usado e voava até então na China. Na imagem com os oficiais da Marinha paquistanesa, o jato brasileiro ainda ostenta a pintura de uso civil, apenas com os emblemas militares aplicados.

O projeto de transformação do jato executivo, que é uma variante baseada no E190 de passageiros, não conta com a participação da Embraer. O governo paquistanês decidiu escolher o Lineage como célula para o programa Long Range Maritime Patrol (Patrulha Marítima de Longo Alcance), que será chamado de ‘Sea Sultan‘ (Sultão dos Mares), sem consultar oficialmente a empresa brasileira.

Para convertê-lo para a nova função foram selecionadas a Leonardo, que fornecerá toda a parte eletrônica, e uma empresa sul-africana, que fará a revisão da aeronave e algumas adaptações necessárias. Não há um prazo claro sobre quanto o Lineage começará a ser preparado para a nova missão.

Lockheed P-3C - Marinha do Paquistão
P3-Orion do Paquistão (Asuspine)

A Leonardo tem experiência em adaptar aeronaves civis para funções de guerra marítima, tendo feito esse trabalho com turboélices C-27J Spartan e ATR 42 e ATR 72. No entanto, pelo ineditismo do projeto, acredita-se que o programa levará tempo para ser concluído.

A Marinha do Paquistão pretende converter 10 aeronaves Lineage para essa função e que substituirão os antigos P-3 Orion atualmente em serviço. Os detalhes técnicos do projeto também não são conhecidos até aqui. Certamente serão incluídos sensores MAD, equipamentos de guerra eletrônica, reconhecimento e um sistema de armamentos compatível.

A solução paquistanesa contrasta com a vizinha Índia, que decidiu encomendar o P-8 Poseidon, aeronave de patrulhamento marítimo baseada no Boeing 737-800 e que tem obtido uma boa aceitação no mercado.

Total
0
Shares
1 comment
  1. A Embraer poderia desenvolver um jato ou turboélice para esta função de patrulha marítima de longo alcance a partir desta versão do Lineage 1000E, a fim de oferecer um opção ao P-3 Orion turboélice e ao jato P-8 Poseidon usado para esta função em alguns países? Ou o mercado tem opções com custo mais competitivo e quais seriam os jatos e turboélices mais competitivos par patrulha marítima de longo alcance?

Comments are closed.

Previous Post

Boeing não consegue retomar entregas do 787 Dreamliner

Next Post

Sombra do A321neo? Ryanair suspende negociação com a Boeing por 250 jatos 737 MAX 10

Related Posts
Total
0
Share