Ônibus Espacial da Índia vai passar por teste de pouso

Veículo espacial reutilizável é um dos projetos mais ambiciosos da agência espacial indiana
RLV - Ônibus Espacial indiano
(ISRA)
RLV - Ônibus Espacial indiano
O modelo de “Ônibus Espacial” testado pela agência indiana ainda é um protótipo (ISRA)

A Organização de Pesquisa Espacial Indiana (ISRA), a “NASA” da Índia, planeja executar um teste de pouso com seu veículo de lançamento reutilizável (RLV) em novembro ou dezembro, informou um alto funcionário da agência espacial.

Exceto pelo pequeno porte, o veículo desenvolvido na Índia é semelhante ao ônibus espacial dos EUA. O objetivo da agência indiana é construir um RLV para colocar satélites em órbita e retornar à Terra para ser reutilizado em outras missões, o que segundo a ISRA reduz de forma significativa o lançamento de objetos no espaço.

O teste programado pela agência para os próximos meses será um rápido experimento do RLV não tripulado em voo planado e pouso. O veículo será içado por um helicóptero a uma altitude de 4.000 metros e depois será liberado para voar em direção à pista e pousar sozinho.

“Planejamos testar o pouso do Veículo de Lançamento Reutilizável no distrito de Chitradurga em Karnataka. Queremos fazer o teste em novembro ou dezembro deste ano”, disse S. Somanath, diretor do Centro Espacial Vikram Sarabhai, parte da ISRO.

RLV - Ônibus Espacial indiano
Teste de pouso: o RLV indiano será içado por um helicóptero até 4.000 metros de altitude (ISRA)

De acordo com Somanath, cerca de 30 a 40 funcionários da ISRO devem ser levados para Chitradurga e permanecer lá por cerca de duas semanas em preparação para o lançamento do protótipo do ônibus espacial indiano.

O ensaio de voo curto e pouso do RLV planejado pela agência indiana é semelhante aos realizados pela NASA durante o programa de desenvolvimento do Ônibus Espacial no final da década de 1970. No entanto, em vez de ser içado por um helicóptero, o modelo norte-americano era liberado no ar a partir de um Boeing 747 especialmente adaptado.

A NASA contou com cinco Ônibus Espaciais entre 1981 e 2011, período no qual os aparelhos realizaram 135 expedições na órbita da Terra. Com capacidade para transportar quase 10 toneladas de carga, veículo reutilizável foi fundamental na construção da Estação Espacial Internacional. Das 50 missões realizadas para montar a base especial, 38 delas foram executadas pelo “Space Shuttle” dos EUA.

Ônibus Espacial indiano

O veículo espacial reutilizável faz parte do Programa de Demonstração de Tecnologia da ISRA, iniciado em 2006. De acordo com a agência, o projeto serve para avaliar várias tecnologias, desenvolver foguetes hipersônicos, sistemas de aterrissagem autônoma, entre outros requisitos para construir o ônibus espacial. No futuro, a espaçonave será ampliada para se tornar o primeiro estágio do veículo de lançamento orbital de dois estágios reutilizável da Índia.

Cerca de 750 engenheiros do Centro Espacial Vikram Sarabhai do Laboratório Nacional de Aeronáutica e do Instituto Indiano de Ciência trabalham no projeto do RLV e os foguetes de lançamento PSLV (Veículo Lançador de Satélite Polar) e GSLV (Veículo Lançador de Satélite Geossíncrono), ambos descartáveis.

O protótipo do ônibus espacial indiano pesa em torno de 1.750 kg e mede 6,5 metros de comprimento (excluindo o foguete) por 3,6 m de envergadura. O RLV ainda é coberto por 600 placas resistente ao calor, um item essencial para o veículo suportar as altas temperaturas da reentrada na atmosfera após um voo espacial.

RLV - Ônibus Espacial indiano
A agência indiana realizou um voo de teste e reentrada atmosférica com o RLV em 2016 (ISRA)

Em 2016, a ISRO testou com sucesso o procedimento de descida do RLV de uma altitude de 65.000 metros e sua reentrada atmosférica a uma velocidade de Mach 5 (cinco vezes a velocidade do som), finalizando com um pouso no mar na Baía de Bengala.

A agência indiana afirma que gasta em torno de US$ 20.000 por cada quilograma de carga útil enviada para a órbita baixa da Terra. Com o veículo reutilizável, a ISRO diz que esse custo pode ser reduzido para cerca de US$ 4.000/kg. Só falta ele ficar pronto, algo que os indianos ainda não sabem precisar.

Veja mais: Mais uma versão cargueira do Airbus A321 voa nos EUA

 

 

Total
48
Shares
Previous Post
O primeiro A330-900neo da Delta decola na França

Airbus celebra entrega de 1.500 jatos A330

Next Post
Frota de aviões comerciais deve triplicar em 20 anos na América Latina (Divulgação)

União Europeia dá o troco nos EUA e anuncia sobretaxa para aviões da Boeing

Related Posts