Pesquisadores da Holanda sugerem aeroporto com pista circular

Conceito pode acelerar operações aeroportuárias e elimina a dificuldade de pousos com vento cruzado
Com a pista circular, toda infra-estrutura do aeroporto pode ser montada no interior do círculo (NLR)
Com a pista circular, toda infra-estrutura do aeroporto pode ser montada no interior do círculo (NLR)
Com a pista circular, toda infra-estrutura do aeroporto pode ser montada no interior do círculo (NLR)
Com a pista circular, toda infra-estrutura do aeroporto pode ser montada no interior do círculo (NLR)

A falta de capacidade de receber mais aeronaves em menos tempo nos aeroportos é uma das principais restrições ao crescimento do transporte aéreo. Entre um pouso ou uma decolagem, formam-se filas de aviões em solo e no ar, cada um esperando sua vez para apontar na pista e decolar, ou então realizar a aproximação para aterragem. No entanto, como propõe o Laboratório Nacional Aeroespacial da Holanda(NLR), essa questão pode ser solucionada, ou agilizada, com uma pista circular.

A “Endless Runway” (Pista sem Fim) é um conceito de aeroporto radical e inovador. Segundo os idealizadores do projeto, a pista circular tem potencial para acelerar as atividades de um terminal aéreo, permitindo o pouso e decolagem de até três aeronaves simultaneamente na mesma pista. Além disso, segundo a NLR, ao agilizar as operações o nível de ruído e emissões também são reduzidos.

Mas a principal característica da pista circular, como destaca seus projetistas, é a possibilidade de uma aeronave sempre pousar e decolar na condição ideal com vento de frente, evitando assim o vento cruzado (crosswind), situação que exige muita perícia dos pilotos. Seja qual for sua força e direção, a Endless Runway se torna totalmente independente do vento, uma vez que as operações podem ser realizadas a partir de qualquer ponto da pista.

A NLR ainda afirma que uma pista circular com diâmetro de 3 km é suficientemente grande para garantir espaço para a toda infra-estrutura aeroportuária no interior do círculo. Isso torna o aeroporto mais compacto, seja ele regional ou internacional.

A pista circular promete acabar com os pousos com vento cruzado, que muitas vezes fazem os aviões arremeterem (NLR)
A pista circular acaba com os pousos com vento cruzado, que muitas vezes fazem os aviões arremeterem (NLR)

Outro detalhe é a pista inclinada, o que permite o efeito de “reta infinita”. Apesar disso, os projetistas, que já testam a ideia em simuladores de voo, afirmam que as operações da Endless Runway seriam tão seguras quanto em pistas convencionais, levando em consideração o alto nível de automação das aeronaves nos procedimentos de pouso e decolagem.

Veja mais: Entenda o “crosswind”, o pouso com vento cruzado

Total
33
Shares
56 comments
  1. Impossível, uma vez q vc estiver alinhado com o vento a pista só terá um sentido, ou seja, nada de 3 operações simultâneas, aviões não são feitos para sair da velocidade zero e atingir 250km/h para decolar fazendo um circulo, a pista não tem cabeceiras isso causaria um caos total pois ngm saberia onde pousar ao certo, isso vai contra todas as regras do ar já feitas pelo homem, isso extinguiria procedimentos de pousos e decolagens por instrumentos, conclusão, isso ai é piada, busquem informações antes de publicar uma besteira dessa.

  2. Não Sou contra a lançarem novas idéias para melhorar problemas conhecidos em muitas atividades que o homem exerce mas que isso é uma tremenda idiotice , é !

  3. Fazendo umas contas rápidas aqui, extrapolando que a largura da pista seja de 60 metros e com um diâmetro de 3km, a maior linha reta que pode ser traçada dentro do percurso da pista (desconsiderando as zonas de segurança da cabeceira) é de 800 metros, para qualquer manobra que precise de mais de 800 metros a aeronave vai ter que fazer uma trajetória em arco, o que na minha opinião pode ser muito arriscado em pousos, decolagens e principalmente arremetes. Se analisarmos também a questão de um ponto de vista de custo x beneficio temos que para uma pista com essa configuração, seria necessário 554176.9m^2 de asfalto enquanto que para uma pista com a configuração 60×800 seriam necessário apenas 48000m^2 (11,5 vezes menos). Um outro ponto que pesa contra o projeto é a questão da necessidade do mesmo, aeroportos que tenham uma pista com comprimento igual ou inferior a 800m geralmente não tem demandas que justifiquem a construção de uma monstruosidade como essa.

  4. Lendo os comentários é inevitável lembrar de Galileu, Copérnico, Santos Dumont que desafiaram os conceitos vigentes. Para mim, parece o “ovo de Colombo”, como ninguém pensou nisso antes? Acidentes como o da TAM em Congonhas (faltou pista) seriam evitados. Acho que essa tecnologia só é possível hoje, com toda a informática disponível

  5. Simplesmente genial! Enquanto os técnicos e cientistas do Laboratório Nacional Aeroespacial da Holanda criam o aeroporto do futuro, aqui no Brasil, os comentaristas de plantão cuja visão do tema é míope criticam o feito, é impressionante e decepcionante.

  6. Fico imaginando a confusão na Torre de Controle…
    Varios aeronaves descendo e subindo ao mesmo tempo.
    Como decolar numa pista que vai fazendo curva, mesmo que levemente?
    Os radares e outros aparelhos dos aeroportos e dos avioes teriam que ser adaptados?
    Qual o custo da brincadeira?

  7. Opa temos um aeroporto…. Agora só falta inventar um avião que pouse e decole a 300 km/h em um aeroporto de pista circular.

    Boeing????
    Airbus????
    Embraer???

    Além de contradizer algumas leis fundamentais de física básica!

  8. Coitados dos pneus do lado externo das aeronaves. Depois de umas 4 ou 5 decolagens pode parar no Posto Ipiranga da nuvem 312 para fazer um Pit Stop. Sem contar que se o avião não parar logo no pouso, vai ficar todo mundo tonto dentro dele. Na Inglaterra os pousos e decolagens vão ser pra esquerda ou pra direita. kkkkkkkkkkk

  9. Paulo, se a pista for inclinada pra dentro, a sensação é de uma reta infinita. Isso existe para testes com carros. Procure na internet.

  10. Perderam a oportunidade de apresentar essa projeto ao governo dos petralhas, certamente seria aprovado de imediato, sem muitas delongas, US bilhões seriam destinados a ODEBRECHT para realizar a obra, depois de pronto, propina distribuída, chegariam a conclusão da inviabilidade do projeto, mas aí bastaria a transformá-lo no melhor e mais moderno circuito oval de fórmula Indy do mundo, inaugurado pelo Lula e pela Dilma. Fantástico.

  11. Esses comentários ilustram um mal dos brasileiros : o de querer dar pitaco em coisa qur não entende.

    Quem projetou essa pista circular foram engenheiros do laboratório aeronáutico holandês. Imagina o gabarito dos caras que trabalham lá, e mesmo assim uns Zé ninguém aqui nos comentários comentam com autoridade falando que os caras são burros.

    Esse é um dos motivos pelos quais nunca vamos sair do buraco.

  12. E uma forma triangular, não seria possível?
    Acho que existem alguns em forma de “X”, onde a torre controla para não haver trombadas.
    De forma triangular, só as cabeceiras se encontrariam, e, se obedecessem um sentido (horário, por exemplo), haveria menor risco de colisões.
    De qualquer forma, acho que a melhor forma é um grande “H”, com duas pistas grandes em cada eixo e os terminais no meio.
    Abraços aos aficionados!

  13. A ideia é genial! Mas sobre o efeito da reta infinita me parece pequeno o diâmetro de 3 km. Para efeito de comparação, a pista de testes de Nardò, hoje pertencente à Porsche, e cuja inclinação permite tal efeito, tem 12,5 km de diâmetro.

  14. Para todos os otimistas de plantão, que afirmam que Galileu, Copérnico et caterva quebraram paradigmas, ok eles quebraram paradigmas, assim como esse aeroporto, só não quebraram as leis da física e da aeronavegação, força centrífuga? estol? tudo bobagem desses brasilóides pessimistas, sinalização? ILS? Glide Slope? tecnicalidades bobas, esse aeruportu é o bixo memo, mano!!

  15. Para todos os otimistas de plantão, que afirmam que Galileu, copérnico et caterva quebraram paradigmas, ok eles quebraram paradigmas, assim como esse aeroporto, só não quebraram as leis da física e da aeronavegação, força centrífuga? estol? tudo bobagem desses brasilóides pessimistas, sinalização? ILS? Glide Slope? tecnicalidades bobas, esse aeruportu é o bixo memo, mano!!

    Que falta faz o estudo na vida da pessoa.

  16. A ideia parece interessante.
    Embora eu não seja especialista na área, me parece que a maior dificuldade seria o pouso obrigatoriamente feito com uma inclinação lateral exata e fixa, já que a pista seria inclinada para o lado interno do círculo. Assim, as asas não poderiam estar horizontalmente alinhadas no procedimento de pouso, pois, dependendo da inclinação da pista, a asa voltada para o exterior do círculo poderia se aproximar demais ou até tocar o solo, o que, como se pode imaginar, não seria nada recomendável…
    Mas, como já disse, não sou especialista na área…então, deixemos que os entendidos estudem as novas possibilidades. De qualquer forma, pessoal, não tenham medo do novo!! Às vezes, ideias que inicialmente parecem absurdas, acabam sendo consideradas geniais…

  17. O engraçada é os engenheiros aeroespaciais e civis e engs aeroportuarios presentes nos comentários, comentando coisas como se os projetistas nunca tivessem pensando nisso antes

  18. Para aumentar o número de pousos e decolagens simultaneamente, basta construir pistas sobre pistas, tipo a perimetral. Porque ninguém pensou nisso antes?

  19. De fato, se a pista for inclinada para dentro, como diz o artigo, o avião poderia girar infinitamente pela pista e seria como uma pista em linha reta. Ainda há outros fatores, como a largura da pista. É possível que no ponto de menor velocidade no pouso seja possível fazer curvas, quase que taxiando.
    Mas é bom que todos os comentaristas apontem esses problemas. Provavelmente os criadores da ideia já receberam críticas similares.

  20. Trabalhei 15 anos na aviação, sinceramente eu acredito que cientificamente pode até ter algum sentido esse projeto, mas fico aqui imaginando como um avião que se aproxima na casa dos 250km/h para um pouso, poderia pousar em segurança, mesmo com uma pequena inclinação? Além disso, como se faria um pouso de emergência? A decolagem acredito que não seria um problema, já que a velocidade vem gradativa até o ponto de subida. Agora, o custo disso tudo para o momento da economia mundial, na minha visão é inviável, um sonho, partindo do princípio que diversos países na Europa estão quebrados.

  21. Fiz os cálculos e em uma pista circular com 3000 metros de diâmetro interno com 100 metros de largura há 680 metros de linha reta tangenciando o limite interno da curva. Em seguida o avião teria que fazer uma guinada de 22º para o lado interno da curva. Esses 680 metros seriam suficientes para reduzir a velocidade do avião a ponto de permitir um guinada de 22º? Sem sim, é perfeitamente viável este tipo de pista.

  22. A ideia parece interessante.
    Embora eu não seja especialista na área, me parece que a maior dificuldade seria o pouso obrigatoriamente feito com uma inclinação lateral exata e fixa, já que a pista seria inclinada para o lado interno do círculo. Assim, as asas não poderiam estar horizontalmente alinhadas no procedimento de pouso, pois, dependendo da inclinação da pista, a asa voltada para o exterior do círculo poderia se aproximar demais ou até tocar o solo, o que, como se pode imaginar, não seria nada recomendável…
    De qualquer forma, pessoal, não tenham medo do novo!! Às vezes, ideias que inicialmente parecem absurdas, acabam se mostrando geniais com o tempo…

  23. Os comentários são os melhores…. Kkkkk
    Procurem no YouTube sobre a pista de teste de Cruz Alta, a famosa pista infinita. Depois voltem aqui e apaguem esses comentários desnecessários.

  24. Faltou o video que explica melhor o conceito. Muita crítica numa reportagem incompleta. O conceito é bem interessante. Se é aplicável é outra história, mas pelo menos há no mundo pessoas pensando em resolver problemas e não apenas perdendo tempo em reclamar.

  25. Interessante mas não funciona. Perde-se a componente de vento de proa, essencial para a decolagem. Uma hora o vento vai estar da proa, outra de través e outra de cauda, fazendo uma salada na performance de decolagem.
    .
    E no pouso? O cara vai alinhar com o quê? Vai vir com um vento de proa, e no arredondamento (feito pedalando o avião???) vai pegar um traves, (estando em curva!!!!) e logo que ele iniciar a frenagem pegar o vento de cauda empurrando ele pra frente e prejudicando a frenagem.
    .
    Aqui foi alegado que Um carro de corrida pode desenvolver velocidade numa pista circular porque aerodinâmica dele é feita para empurrar o carro para baixo (sustentação negativa). Já o avião, quanto mais corre mais leve fica sobre a pista, e infinitamente maior a possibilidade de ser jogado pra fora, o que aumenta ainda mais quando entrar no través do vento..
    .
    Só a obrigatoriedade de aplicar leme já faria o avião derrapar no pouso. Outra coisa… Em dia de chuva como é que seria? E o pouso por instrumentos?
    .
    Essa é a ideia mais estúpida que alguém que não tem a mínima noção do que seja pilotar um avião já teve.

  26. Meu senso comum diz que não vai funcionar. Mas, meu senso comum, sem teste ou experimento de nada vale.

    É um motivo nobre e uma tentativa válida. Nada na aviação entra em vigor sem passar por muitos testes. Se esse sistema passar nos testes, por que não?

    O que não posso fazer é condenar antes que seja testado.

  27. Acho melhor aguardarmos a evolução das aeronaves para pouso e decolagens VERTiCAL.
    Pelo visto isto vai acontecer em breve

  28. JÁ SEI GENIAL
    JÁ IMAGINO BOEINGS, AIRBUS, EMBRAERS, ETC… CORRENDO NO PROXIMO FUTURO ESPORTE FEBRE MUNDIAL?
    A NASCAR JET SERIES
    A EMOÇAO DAS 500 MILHAS DE INDIANAPOLIS COM 737, A320….

  29. Sou leigo no assunto mas andei vendo umas matérias sobre o assunto no youtube . Talvez daria certo se os aviões fosse adaptados para andar em pista circular , assim como os carros de corrida da fórmula indy nos circuitos ovais . Se for pra fazer uma mudança dessas , seria melhor mudar logo de tecnologia . Abandonar o avião e mudar para foguetes de pouso e decolagem vertical .

  30. E a força centrífuga/centrípeta necessária para manter a curva com a aeronave em alta velocidade? E quando a pista estiver molhada em dias de chuva? E os pousos por instrumento (ILS) em dias de visibilidade comprometida? Como seria a instalação das antenas do sistema de pouso por instrumento (ILS)? Acho que eu ficaria tonto numa decolagem e pouso numa pista dessas.

  31. Leva-se primordialmente em consideração o fator “vento de través”, contudo, no contexto atual, a construção e a operação de uma pista de pouso tem de respeitar inúmeros gabaritos, como de obstáculos, a coordenação com outros aeroportos nas redondezas, limites operacionais dos equipamentos de auxílio à navegação, o sobrevoo de áreas habitadas, principalmente quando nos referimos aos ruídos na trajetória de aproximação e decolagem, ainda mais na Europa, onde os moradores reclamam de qualquer barulho, e assim por diante. Portanto, adicionando outros aspectos essenciais, como a manutenção continuada da segurança de voo e o respeito aos limites operacionais das aeronaves, poderíamos contar nos dedos de uma mão quantos grandes aeroportos que existem no momento se enquadrariam em todos esses requisitos, sem interferir no atual fluxo de tráfego aéreo e na possibilidade de sua expansão futura.

  32. Que massa, falta só posicionar o ILS na cabeceira da pista para orientar os pousos por instrumentação. Ops, pista circular não tem cabeceira.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Velho, esse estudo foi abandonado em 2014 e tá cheio de “buracos” que não tem soluções.

  33. Para quem está reclamando das reclamações, dê uma olhada no site do projeto, de preferência na parte de documentação. Vocês vão ver que há vários problemas criados por esse conceito que não há solução. O projeto foi abandonado em 2014, provavelmente porque viram que não há viabilidade para desenvolver uma pista circular.
    Juan Carlos, comparar um pista automobilística com uma pista de de pouso não caiu muito bem. Carro foi feito para ficar no chão, avião para voar (meio óbvio não é? rsrsrs), mas isso muda “algumas” coisas.

    Segue link do projeto: http://www.endlessrunway-project.eu/

  34. Quando Santos Dumont inventou o avião, muitos usavam argumentos como os que estou vendo aqui.

    É impossível por isso, isso e aquilo! Quem um dia imaginou que fossemos voar com tanta gente dentro de uma aeronave, né!

    Inovações só surgem com quebras de paradigmas!

  35. Quando a ex União Soviética resolveu bloquear o tráfego terrestre para sufocar e matar de fome os berlinenses ocidentais e norte americanos inventaram um sistema de pousos e decolagens em pista curta em Berlim Ocidental.
    Aquela técnica simples, mas que salvou os berlinenses ocidentais, poderia ser motivo de novos estudos ?!

  36. Por tudo que ja estudei de aeronoves tenho certeza que nao e possivel um aviao atual pousar e decolar em uma pista dessa, teriam que inventar os avioes que usariam essa pista e todos equipamentos de pouso e decolagem dela.

  37. Brasileiro comentando como brasileiros… Eles adoram falar, tagarelar e por o dedo em riste para assuntos que nada entendem ou compreendem, mas mesmo assim adoram vomitar as suas “verdades”, o que eles não sabem é que passam um verdadeiro vexame ao deixarem as “pérolas” nos comentários… Realmente não sei o que se passa na cabeça dessa gente que entra numa thread sobre novo conceito de pouso e decolagem para querer escrever baboseiras… Escrevem com tal energia e contundência que quase penso que aqui estão reunidos os maiores especialistas sobre o assunto no mundo, quase acredito que os pesquisadores holandeses (que levaram décadas estudando e pesquisando o tema) são uns tolos, e que aqui estão reunidos os maiores experts do assunto, que em 5 min acham que tem a solução do problema….

Comments are closed.

Previous Post
A Embraer já conta com uma fábrica nos EUA, no estado da Florida (Divulgação)

Em busca de inovações, Embraer se instala no Vale do Silício

Next Post

Leilão de aeroportos rende R$ 3,72 bilhões para o governo federal

Related Posts