Primeiro KC-390 será entregue à FAB após o Paris Air Show

Embraer também está próxima de fechar acordo de exportação da aeronave para Portugal
O KC-390 é projetado para transportar até 26 toneladas de carga, capacidade superior a do Hercules (FAB)
O KC-390 é projetado para transportar até 26 toneladas de carga, capacidade superior a do Hercules (FAB)
Os primeiros KC-390 serão entregues à FAB a partir de 2019 (FAB)
A FAB encomendou um total de 28 exemplares do Embraer KC-390 (FAB)

A Força Aérea Brasileira (FAB) vai receber seu primeiro KC-390 logo após a feira aeronáutica Paris Air Show, na França, que acontece entre os dias 16 e 23 de junho. A notícia foi confirmada nesta quarta-feira (15) por Nelson Salgado, CFO da Embraer, em teleconferência da fabricante sobre os resultados financeiros no primeiro trimestre deste ano.

“Assim que a aeronave retornar da feira daremos início ao processo de entrega da primeira unidade para a FAB”, disse o executivo. A FAB tem um pedido por 28 unidades do KC-390, aeronave que foi escolhida para substituir os antigos cargueiros turbo-hélice C-130 Hercules, em serviço no Brasil desde 1965. Todos os aviões devem ser entregues ao comando brasileiro até 2026.

O KC-390 com presença confirmada no evento francês, também chamado como “Le Bourget”, é o primeiro modelo de série produzido pela Embraer e pertence a FAB. Essa mesma aeronave, com permissão da força aérea, está participando da etapa final de testes e certificação do novo cargueiro, que iniciará sua carreira operacional no Brasil a partir do segundo semestre deste ano.

Salgado também disse que o acordo de exportação da aeronave para Portugal está “bastante próximo”. Os portugueses negociam a compra de cinco unidades do KC-390 por 827 milhões de euros.

Portugal é um dos parceiros estratégicos no desenvolvimento e produção do KC-390. Uma série de componentes da aeronave são produzidos na fábrica da Embraer em Évora e também pela OGMA, empresa portuguesa controlada pela companhia brasileira.

“Esse é um produto (o KC-390) que tem despertado enorme interesse de forças aéreas mundo afora. Em geral, em relação a produtos de defesa, enquanto a sua própria força aérea não começa a utilizar a aeronave você normalmente não concretiza muitos negócios. Mas nos esperamos que com o início da operação do KC-390 pela FAB no segundo semestre deste ano esse interesse comece a ser convertido em oportunidades reais”, disse o CFO da Embraer.

Gigante brasileiro

O Embraer KC-390 é o maior avião desenvolvido na América Latina, com peso máximo de até 81 toneladas – embora não seja o com maior comprimento, título que pertence ao novo jato comercial E195-E2.

Uma série de componentes do KC-390 são produzidos em Portugal, pela Embraer e a OGMA (FAB)
O KC-390 pode transportar até 26 toneladas de cargas, 6 ton a mais que o Hercules (FAB)

Com a proposta de substituir o C-130 Hercules, o KC-390 foi desenvolvido para cumprir as mesmas missões do antigo turbo-hélice fabricado nos Estados Unidos, mas com praticamente o dobro da velocidade (até 850 km/h) e mais carga, com capacidade máxima de 26 toneladas (6 ton a mais que o Hercules). E a lista de tarefas da aeronave é enorme.

Além do transporte de equipamentos e tropas, o cargueiro militar da Embraer pode lançar cargas e paraquedistas, reabastecer outras aeronaves em voo (e também ser reabastecido), realizar missões de busca e salvamento, combater incêndios florestais e até voar para s Antártica.

Cada unidade do KC-390 é avaliada em cerca de US$ 85 milhões (cerca de 319,3 milhões). Além de suprir as necessidades da FAB, a Embraer acredita que o novo jato militar também pode ser uma das principais opções do mercado no segmento de cargueiros militares médios nos próximos 20 anos, substituindo antigas frotas de Hercules pelo mundo.

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Cadete Aviador Gabriel Miranda - ESQ. ANÚBIS
Cadete Aviador Gabriel Miranda - ESQ. ANÚBIS
2 anos atrás

Espero que ele venha para o Esquadrão Corsário rapidamente.

Pedro Santos
Pedro Santos
2 anos atrás

Amigos, as OGMA não são brasileiras.
É “part-state owned”… semi-pública e semi-privada.

Leandro Rodrigues
Leandro Rodrigues
2 anos atrás

Lançar Suprir Resgatar
GTT
1° Grupo de Transporte de Tropa

Previous Post

Terá chegado a hora de aposentar o Boeing 737?

Next Post

Lockheed Martin quer vender caça F-21 exclusivamente para a Índia

Related Posts