Primeiro tiltrotor AW609 de produção será concluído até o final do ano

Aeronave da Leonardo tem passado por um longo e complicado desenvolvimento. Estreia em serviço deve ocorrer com a empresa de offshore Bristow Group
O 4º protótipo do AW609 (Leonardo)

Após previsões frustradas, a Leonardo espera concluir o primeiro titlrotor AW609 de produção até o final de 2021. Segundo a empresa, a aeronave está na reta final de montagem na fábrica da Filadélfia, nos EUA.

Trata-se de um atraso de mais de um ano em relação à previsão anterior, que estipulava a conclusão em 2020, segundo informou o Flight Global.

Primeiro aeronave tiltrotor (com rotores basculantes) civil do mundo, o AW609 surgiu originalmente da parceria entre a Bell e a Boeing em 1996. A Leonardo (na época Agusta) substituiu a Boeing em 2003 e anos depois assumiu todo o projeto.

Em 2015, o programa sofreu seu maior golpe após um acidente fatal com um das aeronaves de testes na Itália. Atualmente, a empresa possui três protótipos, dois deles na Europa e um nos EUA.

A Leonardo, no entanto, não faz previsões sobre a certificação do AW609, que obedece a um novo requerimento criado pelo FAA (Federal Aviation Administration) e chamado de “Powered Lift”.

O tiltrotor une a velocidade de um turboélice com o pouso e decolagem de um helicóptero (Leonardo)

Em janeiro de 2020, a empresa italiana previa a entrada em serviço nos meses seguintes, mas a pandemia do coronavírus atrapalhou seus planos.

Para abrir espaço para a linha de montagem do tiltrotor, a Leonardo está ampliando sua instalações na Filadélfia. A empresa também abriu uma Academia de Treinamento nos EUA em abril, que atenderá os clientes dos helicópteros AW119, AW169 e AW139, além do AW609.

Segundo a Leonardo, a empresa de offshore Bristol Group será a cliente lançadora da aeronave, capaz de levar até nove passageiros a uma velocidade de cruzeiro de 510 km/h e uma altitude de 7.620 m.

Total
71
Shares
Previous Post

Antonov agora admite parceria com Canadá para produção do jato An-74 modernizado

Next Post

Azul investirá US$ 1 bilhão em 220 “táxis voadores” da alemã Lilium

Related Posts