Produção em fábricas da Boeing será retomada na próxima semana

Linhas de montagem da fabricante estão paralisadas desde o final de março devido à pandemia
(Boeing)
As fábricas de aviões comerciais da Boeing estão paradas desde o final de março (Boeing)

A Boeing anunciou que retomará gradualmente a produção de aviões comerciais em suas instalações na região de Puget Sound e Moses Lake, no estado de Washington, a partir da próxima semana. Devido ao avanço da pandemia de Covid-19 nos EUA e para evitar a contaminação de seus funcionários, a companhia vem mantendo suas fábricas fechadas desde o dia 25 de março.

Aproximadamente 27.000 pessoas que trabalham na área de Puget Sound retornarão às atividades de produção dos programas 747, 767, 777 e 787. A Boeing também informou que trabalha para reativar a linha de montagem do 737 MAX no curto prazo – a produção da aeronave que permanece aterrada foi paralisada em janeiro. No início desta semana, a fabricante reiniciou as operações na área de defesa em Washington, com cerca de 2.500 funcionários.

Os funcionários que trabalham na produção do jatos 737, 747, 767 e 777 retornarão ao trabalho no dia 20 de abril, enquanto colaboradores do programa 787 voltam aos seus postos em 23 de abril, informou a fabricante.

A companhia disse que, em todas as suas instalações, “tomou precauções extras e instituiu procedimentos abrangentes para manter as pessoas seguras e combater a disseminação do Covid-19″.

Em seu retorno ao trabalho, empregados da Boeing deverão usar máscaras faciais e obedecer o novo protocolo de distanciamento físico e cuidados com higiene. Os turnos de trabalho também serão escalonados para reduzir o fluxo de pessoas que chegam e saem das fábricas. Outras medidas introduzidas pela empresa incluem controles visuais pelas instalações, como marcações no piso e sinalizações para os funcionários se manterem distantes uns dos outros, e pontos de verificação de temperatura corporal com scanners térmicos.

“A saúde e a segurança de nossos funcionários, suas famílias e comunidades são nossa prioridade”, disse Stan Deal, presidente e CEO da Boeing Commercial Airplanes. “Essa abordagem (de retomar a produção) em fases garante que tenhamos uma base de suprimentos confiável, que nossos equipamentos de proteção individual estejam prontamente disponíveis e que tenhamos todas as medidas de segurança necessárias para retomar o trabalho essencial para nossos clientes.”

Um funcionário da companhia, o inspetor de qualidade da fábrica em Everett, Earl Washington, morreu de Covid-19 no dia 22 de março. Segundo jornal The Seattle Times, cerca de 100 empregados da Boeing foram contaminados pelo novo coronavírus.

Veja mais: Boeing confirma entrega dos últimos 737 NG de passageiros

 

Total
79
Shares
Previous Post

Manuais de voo do novo avião do presidente Trump custarão quase o mesmo que um jato 737

Next Post

Virgin Atlantic não irá voar mais entre Londres e São Paulo

Related Posts