Boeing interrompe produção do 737 MAX

Retorno do avião ao mercado dos EUA deve ocorrer até o segundo semestre de 2020
O 737 MAX 8 tem capacidade para transportar até 175 passageiros (Boeing)
O 737 MAX 8 tem capacidade para transportar até 175 passageiros (Boeing)
A Boeing tem mais de 400 exemplares do 737 MAX estocados em aeroportos nos EUA (Steve Lynes)

Conforme já havia anunciado em dezembro do ano passado, a Boeing suspendeu no último dia 20 de janeiro a produção do 737 MAX em suas instalações em Renton, nos EUA. A fabricante tomou essa decisão em meio às incertezas sobre a recertificação necessária para aeronave voltar a voar comercialmente, o que deve ocorrer até a metade deste ano.

Principal produto da fabricante norte-americana com mais de cinco mil pedidos, o 737 MAX está aterrado no mundo todo desde março de 2019, quando ocorreu o segundo acidente com um jato da companhia Ethiopian Airlines, cinco meses após a queda do avião do mesmo tipo operado pela Lion Air, na Indonésia. As duas tragédias somadas deixaram um total de 346 mortos.

A Boeing diz que não tem planos de demitir ou dispensar trabalhadores de Renton durante a paralisação na produção do 737 MAX. A despeito do aterramento, a fabricante manteve a linha de montagem da série MAX ativa e vinha construído em média 42 aeronaves por mês, um pouco abaixo da capacidade máxima. Com o impasse sobre o retorno do avião ao mercado, mais de 400 jatos foram finalizados e permanecem estocados à espera da liberação.

Analistas preveem que a suspensão na produção do 737 MAX deve causar um duro golpe na cadeia de suprimentos da aeronave e provavelmente afetará significativamente a economia dos EUA neste ano.

A fabricante norte-americana vinha pressionando a agência de aviação civil dos EUA (FAA) para recertificar a aeronave até o final de 2019, mas os reguladores descobriram outros problemas não relacionados ao software MCAS, cujo mau funcionamento é apontado pelos investigadores como principal elemento responsável pela queda dos jatos da Ethiopian Airlines e Lion Air.

A investigação sobre os acidentes também revelou comunicações internas nas quais funcionários da Boeing zombaram e insultaram os reguladores do FAA e condenaram o 737 MAX, com pelo menos dois funcionários admitindo que não permitiriam que suas próprias famílias voassem no avião.

A Gol é o único operador do 737 MAX no Brasil; companhia encomendou mais de 120 jatos da série (Gol)

Quando o FAA confirmou que não iria liberar o 737 MAX até o final de 2019, a Boeing anunciou seus planos de suspender temporariamente a produção da aeronave.

O retorno do 737 MAX ao mercado vai começar pelos EUA, mas ainda não está claro quando reguladores de outros países devem autorizar os voos com a aeronave. É muito provável que a Boeing possa enfrentar mais atrasos neste ano para entregar todos os aviões armazenados, uma vez que 80% dos compradores do jato são empresas estrangeiras.

Veja mais: Boeing confirma que reduzirá produção do 787 em quase um terço

Total
11
Shares
0 0 votes
Article Rating
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Menezes
Carlos Menezes
2 anos atrás

Com a política brasileira tomando calça arriada do governo americano e saindo feliz, a anac vai sair na frente, antes mesmo da faa

Thiago Garcia
Thiago Garcia
2 anos atrás

Quem deu uma lida por cima no relatório preliminar do acidente sabe que não foi tudo isso que a imprensa fala.
Tivessem os pilotos agido de maneira correta um acidente teria sido evitado.
Tivesse a manutenção agido de maneira correta o outro acidente teria sido evitado.
O defeito no mcas realmente existe mas não foi determinante.
Corrobora com isso o fato de a aeronave ter voado por meses sem nenhum incidente do tipo, quiçá acidente.

Ricardo Rosa
Ricardo Rosa
2 anos atrás

O Sr Thiago Garcia, coloca todos os investigadores da FAA como se fossem principiantes no pre primário. Kkkk. Faz a critica, julga e de quebra a solução. Deve ser um grande piloto de aviões de papel. Parabéns, grande Mestre do Ar.

Previous Post

Boeing confirma que reduzirá produção do 787 em quase um terço

Next Post

Airbus C295 completa primeiros ensaios de reabastecimento em voo

Related Posts
Total
11
Share