Su-57 derrotaria o F-35 facilmente em combate, garante famoso piloto russo

Magomed Tolboyev, cosmonauta que comandou os testes com o ônibus espacial russo Buran, fez elogios ao jato da Sukhoi, mas reconheceu que o oponente americano está mais preparado para o atual cenário de guerra
O Su-57 e seu adversário americano, o F-35: em tempos antigos, o russo se daria melhor, diz piloto

Um dos mais notáveis pilotos de testes russos e que ainda nos tempos da União Soviética comandou o ônibus espacial Buran, Magomed Tolboyev completa 70 anos nesta quarta-feira (20). Hoje aposentado, o ex-cosmonauta deu sua opinião a respeito do Sukhoi Su-57, primeiro caça stealth da Rússia.

Em entrevista à TASS, Toboyev foi categórico: “o Su-57 derrubaria facilmente [o F-35] se eles se encontrassem num combate aéreo um para um. O F-35 não consegue manobrar, mas em compensação tem um grande poderio eletrônico” explicou. O russo ainda enfatizou ser contrário ao excesso de eletrônica embarcada, que pode ser afetada até por explosões solares.

O ex-piloto afirmou que o Su-57 é um “avião brilhante”, mas que o atual cenário de guerra reduziu a possibilidade de ocorrerem “dogfights” como antigamente. “Hoje, você não combate mais um contra um. Tudo depende de suporte e guerra eletrônica. Isso não é mais um tatame de luta, mas uma abordagem complexa de questões táticas”, disse.

Propostas diferentes

Desenvolvido pela Lockheed Martin, o F-35 Lightning II foi pensado com uma aeronave de combate versátil, monomotor e com capacidade stealth e que pode assumir diferentes papéis como caça convencional, embarcado em porta-aviões ou na versão de decolagem e pouso verticais.

Magomed Tolboyev, ex-piloto de testes russo: Su-57 é um “avião brilhante”

Ao contrário do F-22 Raptor, o F-35 tem sido exportado para vários países como Austrália, Reino Unido, Dinamarca, Itália, Canadá, Holanda e Noruega mas um acordo com a Turquia acabou vetado pelos EUA por conta da compra de mísseis terra-ar S-400 russos.

Já o Su-57 é o primeiro caça furtivo russo, desenvolvido após um longo período de testes. Sua capacidade tem sido questionada no Ocidente por conta da falta de recursos do governo russo que decidiu colocar aviões de pré-série em serviço. Apenas em dezembro, o primeiro Felon de produção seriada foi entregue à Força Aérea da Rússia.

Para Tolboyev, que pilotou mais de 50 tipos de aviões, entre eles o MiG-29, MiG-31, Su-24 e Su-27, voar no Su-57 seria um grande prêmio mas, aposentado, o Major General russo deve ser daqui em diante apenas um espectador das recente corrida por novos aviões de combate.

Veja também: Próximo caça da Rússia, MiG-41 pode voar em 2025

Total
75
Shares
1 comment
  1. Falou como um piloto da Aviação Russa e não como um Especialistas neutro da área. Acho que ele ainda vive na 2°Guerra mundial onde os combates eram a distâncias de dogfight.

Comments are closed.

Previous Post
Primeiro caça Saab Gripen E da Força Aérea Brasileira (FAB)

Força Aérea Brasileira completa 80 anos de existência

Next Post
Ilyushin Il-114-300

Um mês após voo inaugural, turboélice russo Il-114 volta aos céus

Related Posts