Treinador T-37 sai de serviço na USAF

Cessna T-37B Tweet

Foram 50 anos de serviço ininterrupto na força aérea dos Estados Unidos. Mas a hora da aposentadoria chegou para o T-37 Tweet, o treinador avançado criado pela Cessna nos anos 50.
No dia 17 de junho, o último voo de treinamento foi realizado na 80ª ala, localizada na base aérea de Sheppard, no Texas. Agora o esquadrão operará apenas o T-6A Texan II, da Raytheon, versão modificada do Pilatus PC-9, da Suíça.

Desde sua entrada em serviço, mais de 78 mil pilotos passaram pelo T-37, caracterizado pelos dois motores a jato na raiz da asa e pela cabine com configuração lado-a-lado. Oficialmente, o T-37 sairá de serviço no dia 31 de julho, mas nenhum outro voo de instrução será feito até lá.

O T-37 continua em operação em outras partes do mundo, não só como treinador avançado, mas na função de ataque leve. A Força Aérea Brasileira recebeu 65 aparelhos da versão C, que serviram entre 1968 e 1981 e foram aposentados após a chegada do T-27 Tucano, da Embraer.

Total
0
Shares
2 comments
  1. Bom falar o que de quem se tornou uma lenda na história da aviação militar? Que os T-37 tenham o seu merecido descanso em algum museu mundo afóra pois como disse o mesmo é uma lenda,se juntarmos ele e a sua versão de ataque A-37,serão muitas más muitas histórias para se contar.
    Más deixando um pouco de lado a versão militar e voltando nóssos pensamentos para o treinador,o T-37 foi uma aeronave excelente para o treinamento inicial a jato para os cadetes mundo afóra o seu cockpit com assentos lado a lado deixava que o aluno e o instrutor dividisem o vôo de fórma única e privilegiada sendo que o instrutor sempre tinha os ólhos no aluno e isso é muito benéfico. Com o passar dos anos nóvos treinadores foram aparecendo no mercado más principalmente a ´´USAF´´ manteve os seus ´´37´´ na linha de vôo. Só para salientar a nóssa FAB também utilizou os T-37 durante a década de 60/70,que posteriormente forma vendidos para a Coréia do sul e que também agora estão sendo desativados.
    Ei ´´37´´ você ficou na memória de muitos e agora tu és parte da história!

  2. Cabe retificar o texto “A Força Aérea Brasileira recebeu 65 aparelhos da versão C do Dragonfly, como também era chamado [o T-37]”, posto que “Dragonfly” aplica-se unicamente à versão de ataque da aeronave, o A-37, que a FAB jamais operou, motivo pelo qual seus pilotos nunca chamaram o T-37 por tal nome.

Comments are closed.

Previous Post

BRA volta a operar charters

Next Post

IAI entrega 1º Kfir modernizado para a Colômbia

Related Posts