Airbus inicia montagem final do A350-1000

Maior modelo da série A350 poderá acomodar até 366 passageiros; jato estreia em 2017
A Airbus uniu nesta semana as partes da fuselagem do primeiro A350-1000 (Airbus)
A Airbus uniu nesta semana as partes da fuselagem do primeiro A350-1000 (Airbus)
A Airbus uniu nesta semana as partes da fuselagem do primeiro A350-1000 (Airbus)
A Airbus uniu nesta semana as partes da fuselagem do primeiro A350-1000 (Airbus)

A Airbus iniciou nesta semana a montagem final do primeiro A350-1000, na fábrica em Toulouse, na França. O novo jato será o maior modelo da família A350, com 73,8 metros de comprimento e capacidade para acomodar 366 passageiros em três classes (ou 440 passageiros em apenas uma classe). O A350-900, que já está em operação de o início de 2015 (a Tam é um dos operadores), tem 66,8 metros de estensão e pode transportar até 314 ocupantes.

O A350-1000 em fase final de produção será o primeiro de três jatos que serão usados em testes de certificação. A previsão é de que a nova aeronave entre em operação comercial em 2017, com a companhia Qatar Airways, que também foi o cliente lançador do A350-900.

Como explicou a fabricante, o primeiro A350-1000 está na “Estação 50”, onde as diferentes partes da fuselagem (o “charuto”) são unidas e o trem de pouso é instalado. Terminada essa fase, o avião em construção será enviado à “Estação 40”, para instalação das asas, e em seguida para a “Estação 30”, onde o interior e equipamentos de voo são montados.

Grande expoente da nova geração de jatos comerciais, ao lado do Boeing 787, o A350 vem atraindo a atenção das companhias aéreas devido ao seu baixo consumo de combustível. O novo jato da Airbus promete uma economia de até 20% comparado às aeronaves da geração anterior. Apesar do “apetite” moderado, o A350-1000 terá os motores a jato mais potentes já utilizados em um avião da Airbus – os turbofans Rolls Royce Trent XWB-97 geram 97.000 lbf de empuxo cada, algo como um “sopro” equivalente a 13 toneladas.

Segundo dados preliminares da Airbus, o novo A350-1000 terá alcance de 14.800 km, que é inferior a do A350-900, que tem autonomia de 15.000 km. O jato ainda poderá alcançar a velocidade máxima de 945 km/h e decolar pesando até 308 toneladas – o A350-900 alcança a mesma velocidade e pode decolar com peso máximo de 268 toneladas.

Ritmo acelerado

A Airbus tem pedidos pelo A350 a perder de vista. Já foram encomendados 580 unidades do A350-900 e mais 181 pelo A350-1000, que ainda nem voou – o primeiro voo deve acontecer ainda no primeiro semestre deste ano.

Além desses dois modelos, a fabricante também trabalha no desenvolvimento do A350-800, que será o menor da série, com 60,5 metros de comprimento e capacidade para até 280 passageiros (em três classes).

O projeto do A350-800, porém, segue a passos lentos e não tem data definida para entrar em operação, se isso de fato acontecer. Ao contrário dos modelos “900” e “1000”, o A350 mais curto não despertou o interesse da clientela como seus irmãos maiores, que estão sendo produzidos em ritmo acelerado.

A companhia Tam, que iniciou recentemente suas operações com a nova aeronave, já encomendou 10 unidades do A350-1000 e outros 14 exemplares do A350-900. Os modelos da Airbus vão substituir os atuais Boeing 777 da empresa.

As empresas Azul e Avianca também encomendaram o Airbus A350-900.

Veja mais: Rio de Janeiro terá visita do A380 durante as Olimpíadas

Total
0
Shares
1 comment

Comments are closed.

Previous Post
O Mi-26 é impulsionado por duas turbinas, cada uma com 11.400 cavalos de potência (Mil Moscow Helicopter Plant)

Mi-26, o guindaste voador

Next Post
O E190-E2 terá alcance de até 2.800 km; a primeira entrega é prevista para 2018 (Embraer)

Veja o novo E-Jet E2 da Embraer sendo montado

Related Posts