Akaer participa do projeto do primeiro avião comercial elétrico do Brasil

Projeto pioneiro no Brasil vai utilizar a plataforma no monomotor Colt 100 da Texas Aircraft
Texas Colt 100
(Texas Aircraft)
Texas Colt 100
O monomotor Texas Colt 100 é finalizado nos EUA com componentes produzidos em Campinas (Texas Aircraft)

Especializado no fornecimento de soluções tecnológicas em diferentes áreas, o Grupo Akaer agora vai se aventurar no mundo dos aviões elétricos. A empresa de São José dos Campos (SP) uniu forças com a Equatorial Sistemas e fechou um acordo com a Oxis Energy, a Texas Aircraft e a WEG para, conjuntamente, desenvolver uma versão totalmente elétrica da aeronave Texas Colt 100.

O trabalho realizado pela Akaer-Equatorial é a primeira tentativa da indústria brasileira em desenvolver e construir um avião com motorização elétrica para aplicações comerciais. Usado como base para o projeto, o Colt 100 é um monomotor de quatro lugares de asa alta desenvolvido no Brasil e montado nos EUA pela Texas Aircraft usando componentes produzidos em Campinas (SP).

De acordo com a Akaer, o motor convencional do Colt 100 (um BRP-Rotax ) será substituído por um propulsor elétrico fornecido pela WEG, multinacional brasileira que produz equipamentos elétricos – e que também colabora no desenvolvimento do avião elétrico experimental da Embraer.

O avião ainda vai receber um conjunto de baterias modulares de Lítio-Enxofre produzidas pela Oxis Energy, em Juiz de Fora (MG). Segundo a Akaer, o sistema de armazenamento de energia da empresa mineira “têm enormes benefícios devido à sua densidade de energia muito alta e baixo custo de fabricação em grandes volumes”.

Esta nova bateria é capaz de atingir a energia específica requerida para que a primeira versão elétrica do Colt 100 alcance uma autonomia maior que 90 minutos, explica a Akaer.

“Para trabalhar com sucesso em aplicações, é fundamental que a tecnologia não só opere com sucesso no nível da célula, mas que esses benefícios sejam totalmente percebidos no nível da bateria”, acrescentou a desenvolvedora do interior de São Paulo, que também é uma das empresas brasileiras envolvidas na produção nacional dos novos caças Gripen E/F da Força Aérea Brasileira.

O Grupo Akaer, todavia, não divulgou uma data para apresentar o avião elétrico ou previsões sobre o primeiro voo do aparelho. “Em breve, teremos grandes aeronaves comerciais com propulsão elétrica voando ao redor do mundo e o Grupo Akaer está preparado para enfrentar os desafios desta nova tecnologia”, garantiu a empresa.

Nota do editor: o primeiro avião elétrico testado no Brasil foi o SORA-e, projetado pela ACS Aviation de São José dos Campos em parceria com a Itaipu Binacional. O voo inaugural do aparelho foi realizado em junho de 2015. O modelo, no entanto, não tem aplicações comerciais.

Veja mais: KC-390 é flagrado reabastecendo outro KC-390 em voo

Total
0
Shares
Previous Post
Míssil MICLA BR

FAB e Avibras firmam parceria para desenvolver míssil de longo alcance

Next Post
O A380 precisa de pistas mais largas para evitar que detritos entrem nos motores (Divulgação)

Ex-chefão de vendas da Airbus culpa motores e clientes pelo fracasso do A380

Related Posts