Alemanha oferece aviões para combater Estado Islâmico

Governo alemão vai enviar aeronaves de reconhecimento e reabastecimento para a zona de combate contra o grupo terrorista
A Luftwaffe vai iniciar a desativação do Panavia Tornado a partir de 2020 (Luftwaffe)
A Luftwaffe vai iniciar a desativação do Panavia Tornado a partir de 2020 (Luftwaffe)
Os aviões da Luftwaffe vão atuar somente em missões de vigilância e reconhecimento (Luftwaffe)
Os aviões da Luftwaffe vão atuar somente em missões de vigilância e reconhecimento (Luftwaffe)

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, aprovou o envio de aviões da Luftwaffe (força aérea alemã) para apoiar a coalização de combate ao grupo terrorista Estado Islâmico (EI) na Síria e no Iraque. O governo alemão ofereceu caças Tornado, aeronaves de reabastecimento aéreo e embarcações para ajudar às forças que já encontram na região, como França e Rússia.

“Vamos contribuir com aviões Tornado de reconhecimento, uma fragata para ajudar a proteger o porta-aviões francês Charles de Gaulle e um reabastecedor aéreo para aviões de combate”, declarou a ministra de defesa da Alemanha, Ursula von der Leyen, à agência Bloomberg.

Como informou o governo alemão, serão destacados entre quatro e seis aviões Tornado. As aeronaves serão equipados com câmeras e sensores infravermelho para atuarem em missões de reconhecimento de posições inimigas, que posteriormente poderão ser atacadas por aviões de outros países da coalização. A Alemanha, portanto, vai participar do combate apenas na função de vigilância e não para disparar armas.

O pacote de medidas para viabilizar a ação militar da Alemanha ainda será discutido no Conselho de Ministro e submetido a votação parlamentar na próxima semana. “Nós não vamos ser capazes de passar sem um confronto militar com o Estado Islâmico e outros grupos terroristas na Síria”, disse o ministro das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier.

A Alemanha é pressionada pela França, seu maior aliado na Europa, para colaborar nas ações militares e reforçar sua contribuição na lita contra o EI depois do ataques terroristas em Paris. Após a Segunda Guerra Mundial, o governo alemão estabeleceu limites rigorosos para ações militares que praticamente impedem a participação do país em conflitos, mesmo sendo um dos membros da OTAN com maior arsenal de guerra.

A Alemanha também vai enviar uma fragata para proteger o porta-aviões francês (US Navy)
A Alemanha também vai enviar uma fragata para proteger o porta-aviões francês (US Navy)

As últimas ações militares da Alemanha aconteceram na Guerra do Kosovo, em 1999, e na intervenção no Afeganistão. Nessas duas oportunidades as forças alemãs apoiaram coalizações da OTAN e contribuiu em missões de bombardeiro e reconhecimento.

Veja mais: Conheça os aviões que estão atacando o Estado Islâmico

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Altevir
Altevir
5 anos atrás

Já passou da hora Luftwaffe ser equipada como nos tempos de outrora , foi a maior foça aérea do mundo, e a Alemanha tem condições financeiras e tecnológicas para transforma-la de novo em uma potencia aérea global.

Previous Post
A TAM da Bolívia não tem nenhuma relação com a companhia TAM do Brasil (divulgação)

TAM da Bolívia pode ter voos suspensos

Next Post
O primeiro A350 da TAM realizou nesta semana os primeiros testes com os motores (@eu_spotters)

Primeiro A350 da Tam já está pronto para voar

Related Posts