ATR pode lançar novo avião regional após 36 anos

CEO da ATR afirmou que detalhes sobre o futuro de suas aeronaves turboélices serão divulgados em até três meses
O turboélice ATR é o primeiro avião a ser equpado com o novo motor PW127XT (ATR)

A fabricante ítalo-francesa ATR prometeu divulgar detalhes da estratégia sobre o futuro de suas aeronaves turboélices nos “próximos dois a três meses”. A afirmação partiu de Stefano Bortoli, CEO da companhia, durante a apresentação dos resultados da empresa em 2021, na última semana.

O executivo-chefe da ATR, porém, não adiantou nenhuma informação sobre o novo plano da empresa em relação aos seus produtos. Ele comentou, por exemplo, que a fabricante não tomou decisão alguma sobre a introdução de tecnologias futuristas de motorização, como sistemas híbrido-elétricos ou uso de hidrogênio, tampouco se comprometeu a lançar um projeto totalmente novo.

A mídia estrangeira, entretanto, interpretou a fala de Bertoli como um possível prenúncio sobre o lançamento de um novo avião ou então de versões atualizadas dos modelos bimotores ATR 42 e ATR 72, que são os turboélices de passageiros mais vendidos da atualidade.

A fabricante, que é parte de uma sociedade entre Airbus e Leonardo, não lança uma nova aeronave desde janeiro de 1986, quando apresentou o ATR 72, após a boa resposta do ATR 42 no mercado. Nesses 36 anos, a ATR atualizou seus dois turboélices, criou versões especiais como a dedicada à carga, mas não voltou a propor um novo avião nem migrou para outros segmentos, como fez a Embraer, por exemplo.

ATR 72-600 da Azul (Foto - Azul)
A Azul é o principal cliente da ATR na América Latina (Azul)

“Estamos estudando diferentes alternativas e, juntamente com nossos acionistas, anunciaremos o próximo passo quando isso for alcançável com um cronograma sólido o suficiente para ser divulgado ao público”, disse Bortoli. “Continuaremos a ouvir nossos clientes e, se e quando eles solicitarem um produto totalmente novo, responderemos a essa necessidade”, acrescentou.

Um dos focos da ATR atualmente é a adoção de soluções sustentáveis para os conjuntos propulsores de suas aeronaves. Até o fim deste ano, a empresa pretende introduzir a opção do novo motor turboélice Pratt & Whitney Canada PW127XT nos modelos ATR 42 e ATR 72, que podem alcançar uma economia de 3% no consumo de combustível. Outra frente avaliada pela empresa é a adoção do SAF, sigla em inglês para Combustível Sustentável de Aviação.

A ATR completou recentemente testes de voo com um ATR 72-600 abastecido parcialmente com SAF. Nesses ensaios, um dos motores da aeronave rodou com o combustível sustentável e o outro usou querosene comum. Segundo Bortoli, a meta da companhia é obter a certificação para uso pleno do SAF até 2025.

Por fim, o CEO da empresa afirmou que “em breve” a ATR iniciará os testes de voo do ATR 42-600S, variante projetada para pousar e decolar em pistas curtas, com menos de 1.000 metros de extensão. De acordo com o executivo, a certificação da aeronave está prevista para 2024.

A Alliance Air irá receber dois ATR 42-600 em leasing (ATR)

ATR nos HimalaiaS

Dias depois da apresentação, a ATR anunciou durante o Singapore Airshow que a companhia aérea Alliance Air, da Índia, fechou um contrato de leasing de dois ATR 42-600 via a empresa de leasing TrueNoord.

Antiga regional ligada à Air India, a Alliance Air opera 18 ATR 72-600 e usará as novas aeronaves em voos para os aeroportos de Shimla e Kullu, localizados em grande altitude na cordilheira do Himalaia.

Total
0
Shares
Previous Post
O Kfir, fabricado em Israel, é uma "cópia melhorada" do caça francês Mirage III (facmilitar)

‘Primo’ do Dassault Mirage, caça Kfir pode ser aposentado na Colômbia em 2022

Next Post

Air France adiciona mais três voos semanais entre São Paulo e Paris

Related Posts
Total
0
Share