A Azul passou a contar com três jatos A330-900neo e deve receber o próximo em breve (Azul)

A Azul Linhas Aéreas recebeu nesta sexta-feira, 06, em Confins, seu terceiro Airbus A330-900neo. A aeronave widebody decolou de Toulouse, na França, na noite de ontem, após passar vários meses estocada aguardando a liberação de entrega para a companhia brasileira.

O jato de longo alcance, prefixo PR-ANW, voou pela primeira vez há quase um ano, no dia 13 de novembro de 2019, e chegou a realizar um voo de aceitação pelo cliente em dezembro, que pretendia recebê-los nos dias seguintes. No entanto, a Azul postergou sua entrega e em abril a aeronave foi traslada de Toulouse para o aeroporto ‘Marcel Dassault’, onde ficou até o final de setembro, segundo registros do site AIBFamily. O A330 voltou a realizar um voo de aceitação no dia 26 de outubro até decolar finalmente para o Brasil.

A entrega do terceiro A330-900neo ocorre um ano após a chegada da segunda aeronave e marca uma possível retomada nos planos de modernização da Azul em sua frota de longo alcance. A razão é a companhia brasileira acaba de realizar nesta semana o voo de aceitação do jato PR-ANX, quarto de uma encomenda (leasing) de cinco aviões. Se não houver surpresas, a aeronave deve seguir para nosso país nas próximas semanas.

Restará então apenas o A330 prefixo PR-ANV, único a exibir a pintura rosa que marca as ações da empresa em relação à campanha contra o câncer de mama. O jato não tem registro de voos, segundo o mesmo site, e a última vez que foi fotografado, em outubro de 2019, ainda não possuía seus motores instalados.

A330-200 saem de cena

Ao mesmo tempo em que amplia sua frota de A330-900neo, mais eficientes e confortáveis para os passageiros, a Azul decidiu retirar um dos seus A330-200 de serviço. O jato prefixo PR-AIY foi enviado para o aeroporto de Tarbes, na França, também nesta semana para ser estocado. No mês passado, a empresa também havia enviado outro A330-200 (PR-AIS) para armazenamento no México após usá-lo por poucos meses antes da pandemia. O Airbus em questão havia voado por vários anos na Avianca colombiana e em seguida na Avianca Brasil até o colapso da companhia aérea.

Airbus A330-200 da Azul (Gianfranco Beting/Azul)

Airbus A330-200 da Azul (Gianfranco Beting/Azul)

Veja também: Gol planeja retorno do Boeing 737 MAX no próximo mês