Bell revela três aeronaves conceituais híbridas de tilt-rotor e propulsão a jato

Pensados para aplicação militar, modelos serão capazes de realizar decolagens e pousos verticais e atingir voo de cruzeiro de 740 km/h
Um dos conceitos apresentados pela Bell

A Bell revelou neta segunda-feira, 02, três conceitos de aeronaves que utilizam a tecnologia HSVTOL (High-Speed Vertical Take-Off and Landing), capazes de “combinar a capacidade de pairar de um helicóptero com os recursos de velocidade, alcance e capacidade de sobrevivência de uma aeronave de caça”.

Os modelos possuem um sistema de tiltrotor cujas pás são dobradas em voo de cruzeiro para reduzir o arrasto. A propulsão horizontal seria fornecida por um motor turbofan, a despeito de a Bell não confirmar a informação no comunicado e na única imagem divulgada.

Segundo a fabricante dos EUA, esse tipo de aeronave seria capaz de atingir velocidade de 740 km/h, ou cerca de 184 km/h mais veloz que o V-280, novo tiltrotor da empresa e que disputa um contrato do Exército.

As três aeronaves possuem portes diferentes, tendo a maior delas insígnias da Força Aérea dos EUA e a menor, uma configuração não-tripulada – o peso bruto vai de 1.814 kg a 45.360 kg, de acordo com a Bell.

Os três conceitos de operações verticais e alta velocidade (Bell)

“A tecnologia HSVTOL da Bell é uma mudança radical nas capacidades dos helicópteros”, disse Jason Hurst, vice-presidente de inovação. “Nossos investimentos em tecnologia reduziram o risco e nos prepararam para o rápido desenvolvimento do HSVTOL em um ambiente de engenharia digital, aproveitando a experiência de um passado robusto de exploração de tecnologia e parcerias estreitas com o Departamento de Defesa e Laboratórios de Pesquisa.”

A forma como a Bell pensou conjugar a propulsão dos rotores e da aeronave em cruzeiro, contudo, não foi explicada.

Imagens de patentes registradas pela empresa sugerem que o funcionamento mais provável envolve o uso de um turbofan que faria também o papel de alimentador de engrenagens para movimentar as hélices. Ou, então, alimentaria um motor elétrico para isso.

Os três conceitos também aparentam ter um projeto furtivo, com entradas de ar discretas e cauda dupla, assim como naceles de baixo arrasto.

A Bell não estipulou qualquer meta para testar o conceito até o momento, mas é bastante provável que o Pentágono lance algum tipo de requerimento do gênero no futuro.

Total
0
Shares
1 comment
  1. O Brasil tem capacidade para desenvolver grandes tecnologia avançada de última geração 4.0 é só me contratar

Comments are closed.

Previous Post
A Boeing planeja testar a tecnologia dos controles autônomos no jato 787 a partir de 2019 (Divulgação)

Low-cost Norse Atlantic amplia frota para 15 Boeing 787

Next Post

DHL vai estrear 12 aeronaves elétricas Alice eCargo em 2024

Related Posts
Total
0
Share