British Airways ainda mantém o Airbus A380 em seus planos

Novo chefe executivo da companhia aérea reafirmou intenção de voltar a voar com o maior jato de passageiros do mundo
A380 da British Airways (Aleem Yousaf/Wikimedia)

Apesar da longa agonia pela qual passa, a British Airways reforçou sua confiança no futuro do A380, o maior avião de passageiros do mundo. Novo CEO da companhia aérea, o irlandês Sean Doyle afirmou ao jornal The Independent que a aeronave da Airbus permanece nos futuros planos da empresa.

“O A380 não está voando mas segue nos nossos planos para a futura reconstrução da companhia aérea”, afirmou Doyle, que observou no entanto que “o momento em que colocaremos o A380 de volta ao serviço é algo que estamos não está claro”.

A British Airways possui 12 Airbus A380 em sua frota que se encontram estocados em vários locais como Madri, Teruel, Doha e no aeroporto de Heathrow, hub da empresa.

A tradicional companhia aérea tem sofrido bastante com os seguidos ‘lockdowns’ e restrições de viagens impostos pelo governo britânico para tentar frear a pandemia do coronavírus, o que reduziu sua oferta de voos de forma dramática nos últimos 12 meses.

Airbus A350-100 da British Airways (Airbus)

Atualmente, a BA opera poucos voos de longo curso e tem feito uso de jatos bimotores mais eficientes como o Airbus A350 e os Boeing 777 e 787. No ano passado, a empresa aposentou seus 747-400, do qual chegou a ser a maior operadora no mundo da variante de passageiros.

Mesmo assim, a British Airways tem contrariado a tendência de aposentadoria precoce do A380, a despeito da sua oferta de assentos elevada. O quadrimotor é configurado com quatro classes e 469 lugares, 42% a mais que o A350-1000, aeronave com maior capacidade em atividade – e que não possui a 1ª classe.

No entanto, a volta do A380 à BA pode demorar ainda. Doyle disse acreditar que a demanda não voltará aos níveis pré-pandemia tão cedo. “Nosso melhor palpite é 2023 ou 2024,” previu.

Total
23
Shares
Previous Post
P-8 da Marinha dos EUA lançando um torpedo de busca submarina (US Navy)

Alemanha deve ser nova cliente do Boeing P-8A Poseidon

Next Post
NAe São Paulo parado na Ilha das Cobras, onde ficou durante boa parte de sua carreira no Brasil (Alexandre Galante/Poder Naval)

Porta-aviões São Paulo é vendido por R$ 10,5 milhões

Related Posts