O 747-400 G-CIVP que estabeleceu o recorde subsônico (Mark Harkin)

A tempestade Ciara que atingiu o Reino Unido no fim de semana com ventos de até 90 km/h também ajudou alguns passageiros a chegarem mais cedo em casa. Segundo dados do FlightRadar 24, um Boeing 747-400 da British Airways bateu o recorde subsônico de travessia do Atlântico, entre Nova York (JFK) e Londres (Heathrow).

O voo BA 211 do sábado 8 de fevereiro, que deveria ter levado cerca de 6 horas e 15 minutos para chegar à capital britânica, cumpriu seu percurso em apenas 4 horas e 56 minutos. Até então, o recorde nessa rota era de um Boeing 787-9 da Norwegian Air que em janeiro de 2018 levou 5 horas e 13 minutos entre os aeroportos de Gatwick e JFK.

Não foi apenas o voo da BA que foi beneficiado pelo “empurrão” dos ventos de cauda. Um A350-1000 da Virgin Atlantic que fazia a mesma rota foi apenas um minuto mais demorado que o 747 da rival. Os dois aeroportos são separados por cerca de 5.550 km de distância e estão entre as rotas intercontinentais mais movimentadas do mundo.

O registro do voo BA 211 pelo Flight Radar 24 (Reprodução)

Concorde recordista

Mesmo com a ajuda do clima, nenhum desses voos subsônicos chegou perto da marca estabelecida pelo Concorde, que voou entre Londres e Nova York até novembro de 2003, quando foi aposentado.

O elegante jato supersônico bateu o recorde da travessia há exatos 24 anos quando cumpriu a rota Nova York-Londres em apenas 2 horas, 52 minutos e 59 segundos. Ou mais de 40% mais veloz que o Jumbo da mesma British Airways.

Um Concorde da British Airways detém o recorde de travessia do Atlântico com 2 horas e 53 minutos (BA)

Veja também: A única foto do Concorde em velocidade máxima