Por trás das paredes do banheiro, há uma grande rede de tubos, conexões e sistemas elétricos que ligam o vaso sanitário a tanques de armazenagem de dejetos (KLM)

Já houve um tempo em que toda a sujeira produzida no banheiro dos aviões era literalmente jogada pelo ar. Felizmente, a aviação evoluiu e isso não é mais permitido. Hoje, os aviões contam com um sistema sofisticado e seguro para armazenar todos os resíduos, que só são extraídos quando a aeronave está em solo.

O sistema que forma a rede de esgoto de um avião é complexo para atender todas as necessidades dos passageiros sem aumentar significativamente o peso da aeronave, garantir a segurança sanitária e ainda preservar o meio ambiente.

Por trás das paredes do banheiro, há uma grande rede de tubos, conexões e sistemas elétricos que ligam o vaso sanitário a tanques de armazenagem de dejetos. Tudo começa quando o passageiro aperta um simples botão dentro do banheiro e aciona a descarga do vaso sanitário.

Descarga por sucção

Um sistema elétrico aciona um motorzinho que suga todos os dejetos. O som lembra o de um aspirador de pó, mas seu funcionamento é um pouco diferente. Ao ser acionado, esse motor abre uma válvula que permite a sucção de todos os dejetos. Isso acontece pela diferença de pressão dentro do banheiro em relação aos tanques.

A válvula fica aberta por apenas quatro segundos, mas é tempo suficiente para sugar todo o conteúdo, inclusive o mau cheiro deixado ali pelo passageiro. O sistema é ideal para os aviões por consumir uma quantidade irrisória de água a cada uso. A cada descarga, é necessário o equivalente a apenas um copo de água.

Tanques com desinfetante

O tamanho e a quantidade de tanques varia de acordo com a capacidade de passageiros e também do tipo de voo realizado. Aviões de longo alcance e mais passageiros precisam de grandes tanques. Já aviões menores que realizam voos curtos precisam de compartimentos bem menores.

Urg! Os tanques onde os dejetos são armazenados contém um desinfetante especial para evitar mau odor (KLM)

Além dos dejetos vindos dos vasos sanitários, os tanques recebem também um tipo de desinfetante especial. Os resíduos e esse desinfetante são misturados para ajudar a evitar o acúmulo de odor desagradável e que haja problemas sanitários.

Na hora do pouso, a pressão atmosférica dentro da cabine, e dos tanques, aumenta. Isso faz com que o ar interno escape dos tanques. Sem o desinfetante, a cada pouso os passageiros seriam obrigados a conviver com o cheiro nada agradável.

Retirada dos dejetos no aeroporto

Os tanques de armazenagem dos dejetos são esvaziados no aeroporto, entre um voo e outro. O processo é feito por um técnico especializado.

A válvula de saída também fica na cauda do avião. O técnico precisa conectar uma mangueira transparente e, depois de checar que ela está realmente na posição correta, é só abrir a válvula. Todo o conteúdo dos tanques é eliminado pela força da gravidade e direcionado para dentro dos tanques do caminhão.

Os tanques de armazenagem dos dejetos são esvaziados no aeroporto, entre um voo e outro (KLM)

É um serviço que até pode parecer simples, mas que exige atenção total. Afinal, se essa conexão não for feita da forma correta o técnico pode levar um banho nada agradável.

Quando o caminhão está próximo de atingir sua capacidade, seus tanques são esvaziados em locais adequados. Os aeroportos contam com estações próprias de tratamento de esgoto, que trata dos resíduos extraídos dos aviões, mas também do esgoto gerado nos banheiros dos terminais.

Curiosidades

  • Apenas 1 copo de água é necessário para dar descarga no banheiro a bordo.
  • Existem dois tanques de 400 litros cada a bordo de um Airbus A330, três a bordo do Boeing 777 e quatro a bordo do Boeing 747.
  • O desinfetante utilizado é 100% biodegradável.
  • O desinfetante também protege a equipe operacional dos germes e evita que fiquem flutuando pela aeronave.

Veja mais: Segredos da aviação comercial