A Ryanair é o segundo maior operador do Boeing 737, com mais de 360 jatos (Ryanair)

Maior da Europa: A Ryanair transportou mais de 152 milhões de passageiros em 2019 (Ryanair)

Acompanhando a sequência de restrições de acesso impostos em países da Europa para combater a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a companhia low cost Ryanair vai suspender por tempo indeterminado a maioria de seus voos a partir de quarta-feira, 25 de março. Desde a semana passada, a empresa irlandesa já vinha operando com apenas 20% de sua capacidade.

As únicas exceções será um pequeno número de voos destinados a manter ligações essenciais, principalmente entre o Reino Unido e a Irlanda, e voos especiais de resgate ou repatriamento, informou a companhia

“A disseminação do vírus que provoca a doença Covid-19 levou a maioria dos governos da União Europeia a impor severas proibições e restrições de viagens, o que impactou negativamente a programação de todas as companhias aéreas do grupo”, diz o comunicado da Ryanair, que também controla as divisões Ryanair UK, Ryanair Sun, Malta Air e Lauda.

“A Ryanair continuará em estreito contacto com os ministérios dos Negócios Estrangeiros de todos os governos da União Europeia sobre a repatriação de cidadãos e, sempre que possível, poderemos operar voos para apoiar esta repatriação”, acrescentou a empresa.

A Ryanair é atualmente a maior companhia aérea da Europa em número de passageiros transportados. No ano passado, a empresa irlandesa transportou mais de 152,4 milhões de pessoas, superando a Lufthansa (que transportou 145 milhões de passageiros no mesmo período).

Veja mais: Primeiro Airbus A380 sucateado é transformado em etiquetas de bagagem