A Latam abriu mão de dez A350 e que foram repassados para sua nova sócia, a Delta (Airbus)

A redução da encomenda de jatos A350 feita pela Latam e que apareceu no último relatório de pedidos e entregas da Airbus envolveu de fato o repasse de dez unidades para a Delta Air Lines, confirmou a companhia aérea.

As dez aeronaves, do modelo A350-900, foram citadas pela Airbus como sendo associadas a um cliente não identificado, e coincidiram com a retirada de quatro A350-900 e seis A350-1000 da encomenda original da Latam.

Segundo a Reuters, a Delta não só confirmou o novo acordo, avaliado em US$ 3 bilhões (quase R$ 16 bilhões), como afirmou que está em negociações com a Airbus para postergar as entregas para depois de 2025 por conta do queda na demanda de passageiros atual, causado pela crise do coronavírus.

Assim como outras companhias aéreas dos EUA, a Delta está solicitando ajuda financeira do governo, estimada em Us$ 5,4 bilhões e que será usada na folha de pagamento de milhares de funcionários.

Grande cliente da Airbus

Até março, a Delta possuía 233 aeronaves da Airbus pendentes de entrega, entre eles 100 unidades do A321neo, 64 do A220, 30 A330-900neo e 12 A350-900. Com a inclusão dos jatos da Latam, a companhia aérea dos EUA terá um toral de 35 jatos A350 em sua frota no futuro, uma das mais numerosas do modelo avançado da Airbus.

O repasse dos aviões da Latam faz parte do acordo de joint venture celebrado entre as duas companhias no ano passado e que surpreendeu o mercado. Pelos termos acertados na negociação, a Delta assumiu cerca de 20% do capital acionário da maior companhia aérea da América Latina.

A Delta é uma das maiores clientes da Airbus (Airbus)

Veja também: Delta Air Lines encerra participação na Gol