Embraer E190-E2 pousa em Londres com pintura de tubarão

Jato de nova geração será exibido no Farnborough Air Show na próxima semana
"Profit Hunter": depois de ganhar pinturas de águia e tigre, o "caçador" da vez é um tubarão (Embraer)
“Profit Hunter”: depois de ganhar pinturas de águia e tigre, o “caçador” da vez é um tubarão (Embraer)
"Profit Hunter": depois de ganhar pinturas de águia e tigre, o "caçador" da vez é um tubarão (Embraer)
“Profit Hunter”: depois de ganhar pinturas de águia e tigre, o “caçador” da vez é um tubarão (Embraer)

Na manhã desta sexta-feira (13), um jato E190-E2, da Embraer, pousou pela primeira vez no Aeroporto de London City (LCY), na capital britânica. O avião da frota de testes da fabricante fez escala em Londres durante o trajeto para o Farnborough Air Show, também no Reino Unido, onde será apresentado ao público na próxima semana.

E já virou tradição a Embraer customizar seus aviões para festivais aéreos. Mantendo o nome “Profit Hunter” (“Caçador de Lucros”), a aeronave desta fez recebeu uma pintura com a cara de um tubarão. Em outros eventos, a fabricante apresentou os novos modelos E190-E2 e E195-E2 com pinturas de tigre e águia.

Segundo a Embraer, a visita do E190-E2 a LCY é o primeiro passo para certificar a nova aeronave para operar no aeroporto regional de Londres. O jato de nova geração da Embraer entrou em serviço em abril deste ano com a companhia Widerøe, da Noruega.

“O Aeroporto de London City é como se fosse nossa casa. Para qualquer lado que se olhe é possível ver uma aeronave da Embraer. Nesse sentido, trazer a nova geração de jatos da Embraer para esse importante centro europeu, é um grande momento para nós”, disse Arjan Meijer, diretor comercial da Embraer Aviação Comercial. “Sabemos que os passageiros irão adorar a nova aeronave, sem os assentos do meio e com maiores compartimentos internos de bagagens, enquanto os moradores de Londres vão apreciar o baixíssimo nível de ruído e de emissões da aeronave.”

O Aeroporto de London City é o mais central da cidade. A localização faz com que as aeronaves tenham que ser compatíveis com a restrição de aproximação íngreme e pista curta. Como explica a Embraer, suas aeronaves são bem adaptadas para essa situação e têm operado no LCY desde 2009, quando a companhia BA Cityflyer iniciou voos com o E170. As aeronaves da fabricante brasileira foram responsáveis por quase 60% das partidas do LCY em 2017.

O E190-E2 será exibido em Farnborough na próxima semana (Embraer)
O E190-E2 será exibido em Farnborough na próxima semana (Embraer)

“Recepcionar o E2 da Embraer pela primeira vez no Aeroporto de London City é um marco para a certificação e subsequente operação comercial no aeroporto mais central de Londres. A primeira geração de E-Jets foi essencial para o nosso crescimento, tanto que três quartos de todos os passageiros pousam ou decolam de uma das aeronaves Embraer. O E2 possui um enorme potencial para o aeroporto, com capacidade comprovada de operar com menos ruído, menor emissão e mais eficiência em termos de consumo de combustível. Isso possibilita abrir novos destinos, proporcionando benefícios significativos para nossas companhias aéreas, passageiros e vizinhos”, diz Richard Hill, diretor comercial do Aeroporto de London City.

Em testes de certificação, os números da EASA (Agência Europeia para a Segurança da Aviação, na sigla em português) apontaram que o E190-E2 tem o menor nível de ruído entre as novas aeronaves de corredor único. Se esse desempenho puder ser replicado no ambiente operacional de London City, o E190-E2 atenderá às restrições mínimas de ruído estabelecidas pelo novo Programa de Categorização de Ruído de Aeronaves (ANCS, em inglês), que será totalmente implantado no próximo ano.

Veja mais: Azul recebe primeiro Being 737 cargueiro

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
João Marcio Júlio
3 anos atrás

O Brasil em termos de aviões comerciais esta bem, peca no setor de defesa pois o nosso Super Tucano poderia evoluir muito com o que imagino a Familia “Brawler” onde o A-29 Super Tucano Brawler l teria um motor desenvolvido nos mesmos moldes do motor de hélices contra rotativas do P-51 caça da ll Guerra, já o A-31 Super Tucano Brawler ll teria o mesmo design do A-29 porém no lugar do motor a hélice teria um canhão rotativo M-60, e para motorização seria utilizada a nova turbina criada no Brasil à qual tive o prazer de ver funcionando no canal do You Tube.

Previous Post
Azul Cargo Express - Boeing 737-400F

Azul recebe primeiro Boeing 737 cargueiro

Next Post
Os aviões encomendados serão operados pela United Express, divisão regional da United (Divulgação)

United Airlines encomenda 25 jatos Embraer E175

Related Posts