Embraer faz investida estratégica na Hungria

Fabricante abriu escritório comercial em Budapeste e enviou o KC-390 para participar de show aéreo no país europeu. Objetivo é criar base para desenvolvimento de novos projetos na região
Embraer KC-390 - Força Aérea da Hungria
A Hungria é a terceira cliente do C-390 Millennium (Embraer)

Terceira cliente do jato multimissão C-390 Millennium, a Hungria entrou no radar da Embraer. A fabricante brasileira pretende se aproximar da indústria aeroespacial do país europeu a fim de potencializar novas parcerias.

Para isso, a Embraer inaugurou nesta sexta-feira, 27, um escritório na capital Budapeste. A data não é uma coincidência: a empresa está na Hungria para participar do Kecskemét International Airshow 2021, evento que ocorre entre o sábado e o domingo.

Não por acaso, uma aeronave KC-390 estará presente no evento, criando a oportunidade de os hungaros conhecerem o jato cargueiro militar, cuja força aérea encomendou duas unidades.

“A Embraer deseja aumentar sua presença na Hungria e expandir nossa rede com expoentes de alta tecnologia húngaros e outras partes interessadas, com o objetivo de estabelecer uma cooperação bem estruturada com algumas das empresas mais qualificadas e inovadoras do país”, disse Jackson Schneider, Presidente e CEO da Embraer Defesa e Segurança.

Segundo a empresa, a iniciativa faz parte de uma estratégia voltada a estabelecer novas parcerias em mercados selecionados.

Inauguração do escritório da Embraer na Hungria (Embraer)

Super Tucano

A aproximação com os húngaros tem contornos mais amplos. Segundo a Embraer, o escritório será a base para o desenvolvimento de projetos na Europa Central e do Leste.

Como se sabe, os países da região foram por muito dependentes de tecnologia fornecida pela Rússia. No entanto, a falta de recursos fez muitos programas sofrerem enormes atrasos e dificuldades.

Por conta disso, várias forças aéreas têm buscado substitutos no Ocidente. A própria Hungria conta com uma frota de caças Saab Gripen C/D sob leasing desde 2006 e que substituíram os MiG-29 fornecidos pelos russos.

Outra aeronave que pode reforçar a parceria com a Hungria é o Super Tucano. Em março, o site Blog Before Flight revelou que a força aérea estaria estudando a a aquisição do avião de treinamento a fim de voltar a contar com um esquadrão após aposentar os jatos L-39 Albatros em 2009.

Total
670
Shares
Previous Post

Beechcraft Denali completa primeiro funcionamento de motor em solo

Next Post

Após desistir dos A350, LATAM Brasil está perto de estrear o Boeing 787-9

Related Posts