Embraer fecha parceria com empresas Fokker

Memorando de Entendimento assinado nesta segunda-feira visa buscar oportunidades no mercado de defesa, suporte e desenvolvimento de propulsão a hidrogênio
C-390 Millennium (Embraer)

A Embraer assinou nesta segunda-feira (18) um Memorando de Entendimento com as empresas Fokker Techniek e Fokker Services, que assumiram parte do legado da antiga fabricante e hoje pertencem ao grupo holandês Panta.

O acordo visa criar possíveis parcerias em várias áreas como suporte de pós-venda, serviços, conversão de aeronaves para missões especiais além de desenvolvimento de aeronaves com propulsão a hidrogênio.

“A Embraer é a parceira ideal para esta colaboração. Nossa história e profundo conhecimento de produtos e soluções para aeronaves nos permitirá trazer uma perspectiva única nas as diversas áreas de desenvolvimento nas quais Embraer está pesquisando”, disse Roland van Dijk, CEO da Fokker Techniek.

“A Fokker Techniek e a Fokker Services são empresas aeroespaciais conhecidas e respeitáveis, com raízes na construção aviões e no suporte de frotas em todo o mundo. Sua rede, experiência e tradição em aviação mundialmente reconhecidas, serão uma combinação perfeita com os Serviços e Suporte da Embraer,” disse Johann Bordais, Presidente e CEO da Embraer Services & Suporte.

Representantes da Embraer e da Fokker assinam o acordo (Embraer)

O comunicado divulgado pelas empresas é bastante vago, mas cita o jato militar cargueiro C-390 Millennium como um dos principais focos da parceria.

Uma das possibilidades é que as duas Fokker ofereçam o suporte à frota de aeronaves, supostamente de clientes estrangeiros ja que até o momento a Força Aérea Brasileira é o maior cliente do modelo.

Origem na rival Fokker

As duas empresas Fokker têm origem na histórica fabricante holandesa de aeronaves e que faliu em 1997. As divisões assumiram os serviços de suporte à frota de turboélices e jatos regionais ainda em atividade no mundo como o modelo Fokker 100.

Em abril, a Fokker Services e Fokker Techniek, que até então pertenciam ao grupo americano GKN, foram adquiridas pela holding Panta, formada por investidores holandeses.

A Panta é também dona da start-up Netherlands Aircraft Company (NAC) que há vários anos tenta relançar um jato comercial baseado nos antigos modelos regionais. Batizado de Fokker 130, a aeronave propõe modernizar aviônicos e motores e oferecer mais assentos.

Ou seja, seria um rival da família E2, da Embraer, porém, até o momento o projeto não avançou a ponto de ser lançado no mercado.

As empresas Fokker são suporte à frota de aeronaves da antiga fabricante (Laurent Errera)

Total
248
Shares
Previous Post

Lufthansa Cargo encerra operação com o MD-11F

Next Post

Coreia do Sul quer lançar treinador militar elétrico

Related Posts