Emirados Árabes faz encomenda de 80 caças Dassault Rafale

Aeronaves são da versão Rafale F4 e marcam a maior encomenda do jato supersônico fora da França
Dassault Rafale - Força Aérea Indiana
Dassault Rafale (Tim Felce)

A Dassault fechou a venda de 80 caças Rafale F4 para os Emirados Árabes Unidos, anunciou a empresa francesa nesta sexta-feira (3). O acordo foi anunciado durante a visita do presidente da França Emmanuel Macron à nação do Oriente Médio.

Trata-se do maior pedido já feito pelo caça Rafale fora da França, atingindo a cifra de 14 bilhões de euros (quase R$ 90 bilhões). Os Emirados também adquiriram 12 helicópteros H225M além de armamentos.

Os Emirados Árabes Unidos já são clientes da Dassault desde que compraram caças Mirage 5 e 2000 no passado, mas também operam caças F-16.

“A venda de 80 Rafale para os Emirados Árabes Unidos é uma história de sucesso da França: estou muito orgulhoso e muito feliz com o resultado. Desejo agradecer às autoridades dos Emirados por sua confiança renovada em nossas aeronaves. Após o Mirage 5 e Mirage 2000, este contrato Rafale consolida a relação estratégica que une nossos dois países e a satisfação da Força Aérea dos Emirados, um parceiro de longa data e exigente de nossa empresa”, disse Eric Trappier, presidente e CEO da Dassault.

O presidente da Dassault, Eric Trappier, assina o contrato com o CEO do Tawazun Economic Council, Tareq Abdul Raheem Al Hosani (Dassault)

A Dassault, por meio do apoio do governo francês, tem obitdo vários contratos de venda do caça Rafale nos últimos anos, incluindo acordos de repasse de aeronaves usadas pela Força Aérea.

Entre os países que passaram a ser clientes do caça francês estão a Grécia, Croácia, Egito e Índia.

As nações do Oriente Médio têm ampliado os gastos de defesa recentemente. O Qatar, vizinho aos Emirados, recentemente recebeu os primeiros caças F-35 fornecidos pelos EUA enquanto o Bahrein fechou contrato para receber o F-16 Block 70 anos atrás.

Os Emirados Árabes também possuem um acordo prévio para receber 50 caças Lockheed Martin F-35, porém, a administração Biden tem exigido comprometimento do país em relação a preocupações com o uso da tecnologia 5G fornecida pela chinesa Huawei.

Não se sabe ainda se a aquisição do Rafale pode ser um sinal de que os Emirados desistirão do jato stealth norte-americano.

Os Emirados possuem um pedido de 50 caças F-35 em suspenso com os EUA (Divulgação)

Total
17
Shares
Previous Post

FAB recebe a 5ª aeronave KC-390 da Embraer

Next Post

Companhia aérea Belavia perde metade da frota por sanções

Related Posts
Total
17
Share