EUA aposentam primeiro porta-aviões nuclear da história

No mar desde 1961 e veterano de diversos combates, USS Enterprise será desmontado
Com 342 metros de comprimento, o USS Enterprise ainda era o maior porta-aviões do mundo (US Navy)
Com 342 metros de comprimento, o USS Enterprise ainda era o maior porta-aviões do mundo (US Navy)
Com 342 metros de comprimento, o USS Enterprise ainda era o maior porta-aviões do mundo (US Navy)
Com 342 metros de comprimento, o USS Enterprise ainda era o maior porta-aviões do mundo (US Navy)

A Marinha dos Estados Unidos aposentou (ou “descomissionou”, para quem prefere o termo naval) o primeiro porta-aviões com propulsão nuclear da história, o USS Enterprise (CVN-65). Também conhecido pelo apelido “The Big E”, a embarcação de 94.781 toneladas foi ao mar em 1961 e esteve presente nos principais conflitos nos quais as forças armadas norte-americanas participaram desde então, como a Guerra do Vietnã e intervenções do Afeganistão e Iraque.

A cerimônia de desativação do porta-aviões foi realizada na última sexta-feira (3) em Newport, Califórnia, no mesmo estaleiro onde a embarcação foi construída, entre 1958 e 1961. O USS Enterprise também é o primeiro navio desse tipo desativado no mundo – somente as marinhas dos EUA e França possuem porta-aviões de propulsão nuclear.

Segundo a marinha dos EUA, o USS Enterprise navegou por mais de 1 milhão de milhas náuticas (1.852.000 km) com propulsão nuclear em quase 55 anos de carreira. A embarcação era impulsionada por oito reatores nucleares de urânio e quatro turbinas a vapor, que combinados geravam 280.000 cavalos de potência (ou 210 MW) – o equivalente a 1/3 da força gerada pela usina nuclear Angra 1, em Angra dos Reis (RJ).

Com os reatores abastecidos, o Enterprise podia navegar por 25 anos sem precisar parar. Ainda assim, a carga de urânio da “usina de força” foi reposta em três ocasiões.

A embarcação tinha capacidade para receber até 90 aeronaves. O primeiro avião que pousou no navio foi um caça Vought F-8 Crusader, em 17 de janeiro de 1962. Ao longo dessas cinco décadas de atividades, o USS Enterprise recebeu diferentes gerações de aviões navais, sendo o mais célebre deles o caça F-14 Tomcat. Já o modelo mais recente recebido pelo antigo porta-aviões foi o caça-bombardeiro F/A-18 Super Hornet.

O caça F-8 Crusader foi o primeiro avião que pousou no USS Enterprise, em 1962 (US Navy)
O caça F-8 Crusader foi o primeiro avião que pousou no USS Enterprise, em 1962 (US Navy)

Apesar da idade, o Enterprise ainda era o maior porta-aviões em atividade do mundo, com 342 metros de comprimento – mas não o mais pesado, como é o caso dos modelos da classe Nimitz da marinha dos EUA, com até 97.000 toneladas. O navio contava com espaço para receber 5.828 tripulantes, sendo 3.000 marinheiros e mais de 1.800 especialistas da divisão aérea, entre pilotos e mecânicos de aeronaves.

O espaço deixado pelo USS Enterprise será ocupado pelo novo porta-aviões USS Gerald R. Ford, também de propulsão nuclear. Previsto para entrar em serviço neste ano, a nova embarcação será a maior e mais potente desse tipo já construída, com 100 mil toneladas e 600 MW.

Nota do editor: o USS Enterprise não navegava desde 2012, mas ainda era considerado ativo.

Veja mais: O que aconteceu com o porta-aviões do Brasil?

Total
1
Shares
10 comments
  1. Lendo tenho que parabenizar pois ainda sim, ele por ser o mais antigo na frota de navio nucleares americanos merecia lugar no museu e não ser desmontando. Agora vergonha nossa BRASIL! é saber que no governo LULA, o Brasil adquiriu um porta aviões usado da marinha francesa movido a vapor e vive dando despesas ou seja ,compramos artigo chines só que vendido por franceses Filhos Da patria com o aval de LULA e seus almirantes que também deveriam ser investigados pelo juiz MORO.

  2. Poderia vir para o Brasil, mas titio nunca vai dar tecnologia pra ralé, só não entendi alguém falando que o Lula que comprou ele, gente daqui a pouco vão falar que ele que comprou nossas usinas de Angra kkk

  3. Temer deveria fazer uma boa oferta e comprar do Trump. Foi feito no mesmo período do São Paulo, mas parece ter vindo em outro planeta, tamanha a diferença entre os dois. Se os Gripen puderem operar nele, já é.

  4. Não podemos ficar sem porta aviões um País continental como o nosso, quem sabe o Interprise não vem navegar no atlantico sul, viva a Marinha.

  5. Único ou únicos navios de propulsão nuclear que navegam no Atlântico Sul são os da 4ª Frota da US NAVY… Sem mais.
    Rsrsrsrs

Comments are closed.

Previous Post

Congonhas supera 20 milhões de passageiros pela primeira vez

Next Post
Rollout do COMAC C919

Jato comercial chinês, C919 vai decolar em breve

Related Posts