FAB intercepta duas aeronaves transportando drogas

Ações realizadas em conjunto com a Polícia Federal envolveram quatro turboélices A-29 Super Tucano e um avião radar E-99
O Super Tucano é a principal aeronave de ataque empregada na Operação Ostium (FAB)
O Super Tucano é a principal aeronave de ataque empregada na Operação Ostium (FAB)
O Super Tucano é a principal aeronave de ataque empregada na Operação Ostium (FAB)
O Super Tucano é a principal aeronave de ataque empregada na Operação Ostium (FAB)

Aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) interceptaram, em operações simultâneas, neste domingo (2), dois aviões classificados como suspeitos, segundo informações de inteligência da Polícia Federal (PF). As ações envolveram quatro caças A-29 Super Tucano e um avião radar E-99, além de todo o Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileira (SISDABRA), informou a FAB.

Na primeira interceptação, uma aeronave monomotor, modelo EMB-720 Minuano, foi abordada por um Super Tucano a nordeste de Campo Grande (MS) e passou pelos procedimentos de averiguação e persuasão. Constatado o voo irregular, o avião foi escoltado até o pouso obrigatório em Rondonópolis (MT), onde a PF assumiu as ações. Os pilotos do monomotor foram presos em flagrante e 450 kg de cocaína foram apreendidos.

No segundo procedimento, um bimotor B-58 Baron foi interceptado a sudoeste de Campo Grande (MS) e obrigado a pousar em Três Lagoas (MS). Os pilotos do bimotor não cumpriram as determinações da FAB e evadiram, realizando um pouso forçado num campo em Invinhena (MS), com cerca de 700 kg de cocaína a bordo.

Imagem do Baron abordado pela FAB; bimotor transportava 700 kg de cocaína (FAB)

O Comandante de Operações Aeroespaciais, Tenente-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas, classificou a operação como bem-sucedida. “Atuamos em duas regiões do país, fazendo interceptações simultâneas. Comprovamos nossa capacidade de controlar múltiplas interceptações e o resultado não poderia ser melhor. Nós comprovamos que o nosso Sistema de Defesa Aeroespacial (SISDABRA) é capaz de desencadear operações simultâneas de defesa aérea onde quer que seja necessário”, ressaltou.

As ações de interceptação de aviões suspeitos fazem parte da Operação Ostium para coibir ilícitos transfronteiriços, na qual atuam em conjunto a FAB e Órgãos de Segurança Pública.

Veja mais: Embraer concluí modernização de primeiro avião radar E-99M da FAB

 

Total
41
Shares
2 comments
  1. Deveriam ter dado um jeito de capturar os que fugiram do Baron, a área do pouso, pela única foto mostrada, é bem aberta com poucos lugares p se esconder.

Comments are closed.

Previous Post

Novo jato executivo da Gulfstream quase alcança a velocidade do som

Next Post

Canadá recebe ofertas de caças F-35, F/A-18E e Gripen E

Related Posts