Quase supersônico, mas só durante os testes: o G700 voou a 1.222 km/h (Gulfstream)

Jato que promete ser um dos expoentes da aviação executiva nos próximos anos, o novo modelo G700 da Gulfstream está avançado na campanha de testes e certificação em ritmo acelerado, voando muito próximo da velocidade do som.

Em comunicado divulgado neste semana, a fabricante norte-americana disse que aeronave voou além voou além de sua velocidade máxima operacional e altitude de cruzeiro, atingindo Mach 0,99 (1.222 km/h) e uma altitude de 54.000 pés (16.459 metros) durante um voo de teste. Um pouco mais e ele alcançaria Mach 1 (1.234 km/h), a velocidade do som.

O G700 realizou mais de 100 voos de ensaio e recentemente concluiu o teste de vibração em voo, ocasião em que o jato quase alcançou a velocidade supersônica, informou a Gulfstream. Em operações típicas, o jato poderá voar a velocidade máxima de Mach 0,92 (1.136 km/h) a uma altitude de cruzeiro de 51.000 pés (15.545 km).

“Essas realizações nesta etapa dos testes de voo apontam para a impressionante maturidade do programa G700”, disse Mark Burns, presidente da Gulfstream. “Projetamos e desenvolvemos o G700 para nossos clientes voarem com segurança, proteção e eficiência, enquanto desfrutam do mesmo nível de conforto que eles fazem no solo. Com a maior cozinha do setor, o máximo em tecnologia e o melhor e mais fresco ambiente de cabine, o G700 abre novas oportunidades em viagens de jatos executivos. ”

O G700 é equipado com motores Rolls-Royce Pearl 700 e pode voar em velocidade de cruzeiro de alta velocidade de Mach 0,90 (1.111 km/h) por 11.853 km ou em cruzeiro de longo alcance a Mach 0,85 (1.049 km/h) por 13.890 km.

Ao informar sobre as capacidades da aeronave, a Gulfstream anuncia o G700 como se fosse um iate. De acordo com a ficha técnica do avião, ele comporta 19 passageiros ou 10 ocupantes na configuração “sleep”, com os assentos transformados em leitos. A cabine do jato tem 17 metros de comprimento por 1,9 m de largura e 2,5 de altura, com 20 janelas ovais panorâmicas, uma das marcas registradas da fabricante americana.

O novo jato executivo da Gulfstream é uma evolução do G650, com uma fuselagem três metros mais longa. Com esse espaço extra, o G700 pode transportar mais passageiros e oferecer opções de cabine ainda mais requintadas. Uma das sugestões da fabricante é um interior dividido em até cinco áreas, incluindo o que ela chama de “ultragalley” (cozinha e cabines para os tripulantes) e uma suíte master com chuveiro. Outra mudança importante no projeto são os tanques de combustível com maior capacidade (até 22.407 kg), o que aumentou em quase 1.000 km a autonomia de voo (o G650 tem alcance máximo de 12.964 km a Mach 0.85).

Os mais de 100 testes do G700, incluindo o voo quase supersônico, foram realizados nos últimos cinco meses. O primeiro voo foi realizado em 14 de fevereiro de 2020 a partir da sede da Gulfstream Aerospace em Savannah, no estado da Georgia, onde a aeronave já é figura frequente nos céus. De acordo com a programação da fabricante, os primeiros jatos serão entregues em 2021. Cada um custa cerca de US$ 75 milhões, o equivalente a R$ 391 milhões na cotação atual.

O G700 compete em um segmento com raras opções: seus principais concorrentes são o Dassault Falcon 8X e o Bombardier Global 7500 (Gulfstream)

Veja mais: Virgin Galactic mostra o interior de sua nave espacial turística