Clássico em traje militar: o E99M é baseado no jato regional ERJ-145 da Embraer (FAB)

Uma das aeronaves mais avançadas na frota da Força Aérea Brasileira (FAB), o “avião-radar” E-99 está passando por um processo de atualização que aumenta consideravelmente o alcance de seus sensores. O primeiro modelo com o novo pacote tecnológico, agora chamado E-99M, foi concluído na última sexta-feira, 24, nas instalações da Embraer em São José dos Campos (SP), e será entregue à FAB.

A modernização dos E-99 foi iniciada em 2012, conduzida pela Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC) em parceria com a Embraer e empresas internacionais, como a SAAB, AELI e Rohde & Schwarz, que fornecem os sistemas de comunicação e sensores embarcados na aeronave. O projeto também inclui acordos de transferência de tecnologia para a indústria de defesa do Brasil.

O Gerente do projeto, Tenente-Coronel Aviador Fabio Pires Vieira, celebrou a conclusão da primeira aeronave no prazo programado, mesmo diante da pandemia do coronavírus. “A conclusão dessa etapa é um indicativo importante de que, apesar de todas as adversidades enfrentadas em função das restrições impostas pela pandemia da COVID-19, a entrega da aeronave para emprego operacional ocorrerá este ano, conforme planejado”, afirmou o oficial da FAB.

Baseado no jato regional ERJ-145 da Embraer, o E-99 é um avião que executa operações de controle e alarme em voo e reconhecimento eletrônico. Os sensores a bordo do jato podem detectar objetos voando a centenas de quilômetros.

No cenário de batalha aérea, aeronaves dessa categoria cumprem a missão de controladores aéreos, coordenando com outras aeronaves missões de interceptação e bombardeiros. Diferentemente dos radares em solo, que não “enxergam” além da curvatura da Terra, um avião radar emite seu sinal do alto e assim consegue acompanhar a movimentação de objetos em baixas altitudes.

O processo de modernização dos E-99 fica concentrado na fábrica da Embraer em Gavião Peixoto (Embraer)

Segundo informações do site Poder Aéreo, a versão E-99M tem um alcance de detecção ampliado, passando de 450 km para até 732 km com os novos sensores. Os sistemas de busca também são mais precisos e podem acompanhar alvos menores, como motos aquáticas, botes de borracha e helicópteros em voo pairado.

A principal alteração no E-99M é o novo radar Erieye-ER montado na grande antena sobre a fuselagem da aeronave. Esse equipamento é igual ao usado no Saab Globaleye (baseado no jato executivo Bombardier Global 6000), mas adaptada aos requerimento operacionais da FAB.

Os cinco E-99 da FAB serão atualizados para o novo padrão (FAB)

Outras modificações na aeronave incluem novos conjuntos de comunicação, sistema de identificação amigo/inimigo (IFF, Identification Friend or Foe) e uma suíte de equipamentos de inteligência e outra de auto-defesa atualizadas. Alguns desses sensores estão montados nas protuberâncias espalhadas pela fuselagem do E-99M.

O programa de modernização das aeronaves fica concentrado na fábrica da Embraer em Gavião Peixoto (SP). Terminada a instalação e revisão dos componentes, os jatos são enviados para a unidade de São José dos Campos, onde recebem uma nova pintura. O processo será realizados nos cinco E-99 da FAB e deve ser concluído até o final 2022.

Veja mais: Mercado vai exigir mais de 160 mil aeronaves eVTOL até 2050