Famosa por operar aeronaves antigas, Buffalo Airways compra seu primeiro avião a jato

Companhia aérea canadense, que opera clássicos como o DC-3 e o Electra, adquiriu um Boeing 737 configurado para transportar cargas
Um DC-3 e um C-47 ao fundo: aviões são mais antigos que a Buffalo Airways, que foi fundada em 1970 (Divulgação)

Empresa aérea canadense conhecida por operar uma frota de aeronaves históricas, a Buffalo Airways finalmente entrou na era a jato. A companhia com sede nos Territórios do Noroeste, na região do Ártico no Canadá, anunciou recentemente que comprou sua primeira aeronave com motores a reação, um cargueiro Boeing 737-300SF.

A notícia foi confirmada por Mikey McBryan, gerente geral da Buffalo Airways, num vídeo descontraído publicado em seu próprio canal no YouTube (confira abaixo). “Não é caça-clic, nem primeiro de abril. A Buffalo comprou um Boeing 737 e eu estou muito empolgado. Venho trabalhando nesse projeto por cerca de oito ou nove meses e agora estamos quase no final”, revelou McBryan.

Na sequência, o o gerente mostra um pequeno deslumbre do 737 sendo preparado para voar com a Buffalo Airways. O trabalho é executado pelo European Aviation Group, no aeroporto de Bournemouth, no Reino Unido. McBryan ainda aproveitou a ocasião para divulgar que a empresa iniciou o processo de contratação de pilotos habilitados para voar no jato da Boeing e convida interessados a se inscreverem no programa.

O Boeing 737-300SF da Buffalo Airways fará companhia a aeronaves que voam há mais de meio século, como os clássicos Curtiss C-46 Commando, Douglas DC-3 e DC-4, Lockheed L-188 Electra, entre outros aviões veteranos que já foram aposentados em outras partes do mundo.

O principal negócio da Buffalo é o transporte aéreo de cargas pela região do Ártico canadense, onde as condições operacionais podem ser extremamente desafiadoras. A empresa também oferece voos fretados de passageiros, serviços de levantamento geofísico e combate a incêndios florestais, missão na qual utiliza aviões anfíbios Bombardier CL-215, outro clássico da aviação.

Total
0
Shares
1 comment

Comments are closed.

Previous Post

EVTOL autônomo chinês pode entrar em serviço neste ano

Next Post

Embraer marca presença na FIDAE com portfólio de produtos de defesa

Related Posts
Total
0
Share