Foguete da Virgin Orbit falha em primeiro teste

Novo empreendimento espacial de Richard Branson promete colocar satélites em órbita a preços mais acessíveis
(Virgin Orbit)

A Virgin Orbit falhou em sua primeira tentativa de lançar o foguete LauncherOne em órbita a partir do Boeing 747-400 “Cosmic Girl”, nessa segunda-feira, 25, na costa da Califórnia, nos EUA. Segundo a empresa, parte do grupo Virgin do bilionário Richard Branson, o veículo espacial apresentou uma “anomalia” e o voo foi encerrado prematuramente após o lançamento aéreo.

Em uma sequência de posts no Twitter, a Virgin Orbit informou que “uma anomalia ocorreu no início do voo do primeiro estágio (do foguete)”, mas detalhou qual foi o problema. “Como dissemos antes do voo, nossos objetivos hoje eram trabalhar no processo de realização de um lançamento, aprender o máximo que pudéssemos e alcançar a ignição. Esperávamos que pudéssemos ter feito mais, mas alcançamos esses objetivos-chave hoje.”

O 747 da Virgin Orbit e sua tripulação desembarcaram no Porto Aéreo Espacial de Mojave, o ponto de origem do voo. Segundo dados do FlightRadar24, a aeronave voou por cerca de 90 minutos até o término da missão.

O executivo-chefe da Virgin Orbit, Dan Hart, salientou: “Nossos engenheiros já estão analisando os dados. Nosso próximo foguete está esperando. Vamos aprender, ajustar e começar a nos preparar para o próximo teste, que será lançado em breve.”

Foguete LauncherOne aciona o primeiro estágio do motor após ser lançado do 747 “Cosmic Girl” (Virgin Orbit)

O próximo foguete está em seus “estágios finais de integração” nas instalações da Virgin Orbit em Long Beach, Califórnia, informou a empresa aeroespacial de Branson.

Lançamentos espaciais mais baratos

O foguete LauncherOne é projetado para transportar cargas de até 300 kg, como pequenos satélites. A técnica de lançamento proposta pela Virgin Orbit promete ser uma forma mais acessível de enviar objetos para órbitas baixas (até 500 km). Cada lançamento deverá custar entre US$ 10 milhões e US$ 12 milhões, o que serão os valores mais baixos do mundo no mercado espacial.

Como explica a Virgin Orbit, o LaucherOne é projetado para ser liberado da plataforma de lançamento aéreo a cerca de 35.000 pés de altitude. O processo lembra o lançamento de um míssil: o artefato é liberado da aeronave em queda livre e logo em seguida aciona seus motores. Como não precisa sair do chão, o foguete da Virgin não precisa de tanto combustível para alcançar o espaço, além de não exigir uma dispendiosa base de lançamento.

O veículo espacial do grupo britânico é um foguete descartável de dois estágios. A primeira fase usa um motor de 75.000 libras de empuxo por cerca de três minutos. Após a separação, a etapa final do voo é completada com um motor de 5.000 libras de empuxo. Segundo a Virgin, cada missão deve durar menos de 10 minutos.

O 747 modificado da Virgin Orbit também permite a empresa transportar rapidamente todo o aparato de lançamento para outros locais em todo o mundo.

A Virgin Orbit é o segundo empreendimento espacial criado por Richard Branson, depois da empresa de turismo espacial Virgin Galactic.

Veja mais: Mitsubishi abandona projeto de jato rival da Embraer

Total
40
Shares
0 0 votes
Article Rating
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
José Rabello
1 ano atrás

Interessante o aileron externo da asa direita baixado para compensar a perda de sustentação da asa esquerda, causada pela interferência do foguete instalado.

Previous Post

Congo Airways modifica pedido do Embraer E175 para jatos E190-E2

Next Post

Rússia inicia produção de seu primeiro bombardeiro “invisível”

Related Posts