Congo Airways modifica pedido do Embraer E175 para jatos E190-E2

Aeronaves encomendadas pela empresa africana serão entregues no segundo trimestre de 2022
(Embraer)
A Congo Airways é a segunda companhia africana que encomenda jatos E2 da Embraer (Embraer)

A Embraer informou nesta terça-feira, 26, que a companhia aérea Congo Airways alterou o pedido firme feito dezembro de 2019, originalmente para dois jatos E175, com direitos de compra de duas unidades adicionais do mesmo modelo, para uma encomenda de dois modelos E190-E2, com opções de aquisição para mais dois aparelhos de nova geração.

O novo contrato é avaliado em US$ 256 milhões, de acordo com os atuais preços de lista do E190-E2, com todos os direitos de compra sendo exercidos, e será incluso na carteira de pedidos (backlog) da Embraer do segundo trimestre de 2020.

“Os novos jatos irão substituirão nossos turboélices, permitido expandir nossas operações na República Democrática do Congo e, regionalmente, para a África Ocidental, Central e Sul. Apesar das dificuldades enfrentadas pelas circunstâncias atuais, nossos fundamentos não mudaram; então esperamos que o momento que vivemos no passado seja reconstruído. Disse, em dezembro, que possivelmente teríamos de fazer um pedido adicional de jatos E2, por conta da agilidade necessária de adaptação às mudanças de mercado e agora chegamos a esse ponto. Enquanto nos preparamos para um futuro de sucesso, teremos a flexibilidade, aeronave mais eficiente, e com o tamanho correto, para servir aos clientes à medida que o mercado se reestabeleça”, disse Desire Bantu, CEO da Congo Airways.

A empresa aérea controlada pelo governo da República Democrática do Congo opera atualmente com dois turboélices Bombardier Q400/Dash 8 e um par de jatos Airbus A320.

“É ótimo poder receber uma nova companhia aérea na família de operadores do E2, especialmente na África, onde a demanda por viagens domésticas cresceu fortemente antes da crise atual. A África tem sido um mercado com baixas frequências de voo e de rotas finas e longas. Assim que as companhias aéreas recomeçarem as operações, a família de aeronaves E2 estará perfeitamente posicionada para o dimensionamento correto das rotas, previamente operadas por aeronaves maiores de corredor único, enquanto mantém frequências e ajusta a capacidade em novos níveis”, diz Raul Villaron, Diretor de Vendas para África e Oriente Médio da Embraer Aviação Comercial.

Os E190-E2 encomendados pela Congo Airways serão configurada com duas classes de serviço, podendo comportar até 96 passageiros, com 12 assentos escalonados na classe executiva. O início das entregas está previsto para o segundo trimestre de 2022.

Este é o segundo pedido de E2 recebido de um cliente africano – a primeira encomenda veio da Air Peace, na Nigéria. Atualmente, há 189 aeronaves da Embraer operando na África, com 54 companhias aéreas e 27 países.

Veja mais: Concorrente do Embraer C-390, Antonov An-178 começa a ser produzido

Total
60
Shares
Previous Post

LATAM entra com pedido de recuperação judicial nos EUA

Next Post

Foguete da Virgin Orbit falha em primeiro teste

Related Posts