Força Aérea dos EUA está deslocando 12 caças F-22 Raptor para a Polônia

Jatos de combate de 5ª geração fazem parte de ala sediada no Alasca e irão reforçar a OTAN no flanco leste
Caças F-22 Raptor sediados no Alasca (USAF)

A Força Aérea dos EUA (USAF) está deslocando 12 caças avançados F-22 Raptor para a 32ª Base Aérea Tática, em Łask, na Polônia. Seis aeronaves furtivas pousaram nesta terça-feira (26) na Base Aérea de Lakenheath, vindas do Alasca, e outras seis devem fazer o mesmo nesta quarta-feira.

Segundo a força, os F-22 reforçarão a “Blindagem Aérea da OTAN”. As aeronaves também são cotadas para passarem algum tempo na Baía de Souda, na ilha de Creta, o que pode ocorrer antes da chegada à Polônia.

As aeronaves pertencem ao 90º Esquadrão de Caça, 3ª Ala, Base Conjunta Elmendorf-Richardson, sediado no Alasca, e apoiarão a Proteção Aérea como o 90º Esquadrão de Caça Expedicionário.

“A missão de blindagem aérea da OTAN integra unidades de defesa aérea e antimísseis aliadas aéreas e de superfície no sistema de defesa aérea e antimísseis integrado da OTAN sob o comando e controle da OTAN. Fornecerá um escudo quase ininterrupto do Báltico ao Mar Negro, garantindo que os aliados da OTAN sejam mais capazes de salvaguardar e proteger o território, as populações e as forças da Aliança contra ameaças aéreas e de mísseis”, disse um comunicado das Forças Aéreas dos EUA na Europa e África (USAFE-AFÁFRICA).

O F-22 Raptor é considerado o mais capaz caça de 5ª geração em serviço no mundo. Embora tenha sido concebido para defesa aérea, a aeronave da Lockheed Martin também possui capacidade de ataque, graças ao uso de munições guiadas de precisão.

O F-22 é considerado o mais avançado caça atual, apesar da idade (USAF)

“O Raptor é um componente crítico da Força-Tarefa de ataque global e projetado para projetar domínio aéreo, rapidamente e a grandes distâncias, para derrotar ameaças que tentam negar acesso ao Exército, Marinha e Corpo de Fuzileiros Navais de nossa nação. Não pode ser igualado por nenhum caça conhecido ou projetado, tornando-se uma plataforma altamente estratégica para apoiar a proteção aérea da OTAN”, acrescentou a USAFE-AFÁFRICA.

Após a invasão russa à Ucrânia, os membros da OTAN têm reforçado a presença de aeronaves de combate avançadas nos países que fazem fronteira com as áreas em conflito. Caças Eurofighter Typhoon e F-35A estão entre os jatos presentes na região.

Total
209
Shares
5 1 vote
Article Rating
4 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
lenilson
lenilson
16 dias atrás

e só lançar uma bomba nuclear tática no oeste da ucrania e o pulso eletromagnetico fara os tais F22 não servir pra nada.

Everlei Duartede Oliveira
Everlei Duartede Oliveira
15 dias atrás

Uma mente Hitler…satânica de pessoa sem crença em Deus!!

nascimentwill@gmail.com
15 dias atrás

Os F22 são os caças furtivos mais rápidos e avançados do mundo, que venha a defender os países da Otan e a Ucrânia, e que essa bomba nuclear que vc mencionou seja lançada na sua casa, pois se acha que uma bomba nuclear tem que ser lançada na Ucrânia, então vc gostaria de ver mais pessoas inocentes morrer, como muitas já estão morrendo por causa do exército covarde russo e o autocrata covarde putim..

Last edited 15 dias atrás by [email protected]
Ivan
Ivan
15 dias atrás

Lamentavelmente a guerra ia sim ou sim acontecer.. a intenção da Ucrania era ser aceita na OTAN e invadir a Crimea.. com o apoio da União europea, Russia teria dois caminhos.. a via diplomática que año daría em nada porque a Crimea foi invadida por ela.. e confrontar militarmente a OTAN.. assim que Putin utilizou as demandas das regiões separatistas do Dombass como desculpa para iniciar a invasão e cortar a Ucrania..

Previous Post

Por que ondas de calor podem ser um problema para aeroportos

Next Post

BAe Systems dará suporte ao radar do Navio-Aeródromo Atlântico, da Marinha do Brasil

Related Posts
Total
209
Share