Força Aérea dos EUA inicia aposentadoria dos aviões-tanque KC-10 Extender

Em serviço nos EUA desde 1980, antigos jatos da McDonnell Douglas serão substituídos pelos novos Boeing KC-46
(USAF)
Posto voador: o KC-10A pode transportar até 165 toneladas de combustível (USAF)

A Força Aérea dos EUA (EUA) iniciou nesta semana o processo de desativação de seus aviões-tanque KC-10A Extender, a versão militar do clássico jato comercial DC-10 da McDonnell Douglas. A primeira aeronave aposentada foi levada para a base aérea de Davis-Monthan, no deserto do Arizona, onde fica o maior cemitério de aviões do mundo.

O primeiro KC-10 desativado, com número de cauda 86-0036, estava em serviço há mais de 33 anos. Além deste aparelho, a USAF informou que vai retirar mais duas aeronaves até o final de 2020 (os modelos 87-0120 e 83-0077).

A força aérea dos EUA tem mais 58 KC-10 na frota, que eventualmente serão substituídos pelo novo reabastecedor aéreo KC-46A Pegasus, baseado no jato comercial Boeing 767.

O coronel Scott Wiederholt, comandante do esquadrão 305th Air Mobility Wing, de McGuire-Dix-Lakehurst, disse na cerimônia de despedida do avião, no dia 13 de julho, que a aposentadoria do KC-10 86-0036 é realizada “com uma imensa quantidade de orgulho”.

“Esta aeronave, como todas as aeronaves da nossa frota KC-10, serviu honrosamente e forneceu o combustível salvador aos pilotos de caça com alcance global”, disse o coronel da USAF, citado pelo Air Force Times. O KC-10 “garantiu que todas as missões, sejam de combate, reabastecimento ou humanitárias, fossem executadas de maneira que nenhuma outra nação do mundo é capaz de fazer”.

O KC-10 também pode ser reabastecido em voo (USAF)

165 toneladas de combustível

Os KC-10 Extender são os aviões de reabastecimento aéreo com maior capacidade da USAF, capazes de transportar até 165.561 kg de combustível. Embora mais eficiente, o novo KC-46A leva “apenas” 96.297 kg. O outro modelo da frota americana, o veterano KC-135 Stratotanker (baseado no Boeing 707) transporta 90.718 kg e futuramente também será substituído pelo Pegasus.

Sucesso na aviação comercial nas décadas de 1970 e 1980, o DC-10 era um dos principais jatos de longo alcance do mercado e também chamava atenção por sua grande capacidade de carga.

Em 1975, o trimotor da McDonnell Douglas (na versão DC-10-30) foi escolhido pela USAF para a conversão em avião-tanque. Os concorrentes do KC-10 no programa eram versões modificadas do Boeing 747 e dos Lockheed C-5 Galaxy e o L-1011 Tristar.

Os DC-10 da Varig (JetPix -Wikimedia Commons)

Diferentemente do KC-135, que teve mais de 800 unidades produzidas (cerca de 400 ainda estão ativas), o KC-10 teve uma tiragem relativamente baixa, com 62 aeronaves finalizadas, incluindo dois aparelhos comprados pela força aérea da Holanda e que seguem em operação.

Os Extender participaram de praticamente todos os grandes conflitos militares dos EUA a partir da década de 1980 e continuam disponíveis até serem aposentados, o que ainda pode levar mais alguns anos. A USAF tem atualmente esquadrões de KC-10 baseados nos EUA, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos.

Além da função de reabastecimento em voo, o KC-10 pode ser adaptado para transportar cargas (até 77 toneladas) e passageiros. Em viagens de deslocamento (ferry), o antigo jato da USAF tem fôlego para cruzar quase a metade do planeta em apenas um voo, com alcance máximo de 18.500 km.

Trimotor em extinção: a exótica silhueta do KC-10 vai deixar saudades (USAF)

Veja mais: China inicia produção em massa do caça furtivo J-20B

Total
47
Shares
1 comment
  1. Até quando toda vez que um negro ocupar um cargo de destaque teremos que enaltecer o fato?? Esse tipo de comentário deixa a falsa impressão que os negros ou outras etnias normalmente não tem capacidade para ocupar tal posição. Na minha opinião, quanto mais se enaltece esse tipo de feito mais diminui a capacidade do negro. Já está na hora de parar com isso, acaba sendo uma outra forma de racismo.

Comments are closed.

Previous Post
Os Jumbo da empresa britânica voam todos os dias para o Brasil (British Airways)

British Airways confirma aposentadoria do Boeing 747

Next Post

Seria o novo jato T-7 um sucessor para os caças F-5 da FAB?

Related Posts