Fusão MiG-Sukhoi é aprovada pelo conselho de administração da UAC

Duas empresas, conhecidas por produzir os mais importantes aviões de combate da Rússia, farão parte da mesma estrutura. Proposta será levada aos acionistas em janeiro
Caças Su-57 e MiG-35: sob um mesmo teto (UAC)

A UAC (United Aircraft Corporation) anunciou nesta semana que a fusão entre as empresas Sukhoi e MiG foi aprovada pelo conselho de administração da holding no dia 30 de novembro.

O próximo passo, segundo a UAC, será apresentar a proposta aos acionistas em janeiro de 2022. Se for aceita (o que é apenas mera formalidade), a fusão fará com que as duas mais famosas marcas de aviões de combate da Rússia dividam a mesma estrutura.

Apesar disso, a UAC garante que as divisões de projeto de aeronaves serão mantidas separadas.

“A próxima fusão é o evento mais importante para a indústria da aviação. Os preparativos foram feitos, os detalhes foram acertados para começar a formar uma entidade unida da indústria aeronáutica russa – uma estrutura capaz de dar um poderoso impulso ao desenvolvimento do complexo de aviação Rostec e de toda a indústria. Em uma única estrutura, devem ser reunidas as melhores práticas de governança corporativa, competências avançadas de engenharia e uma base de produção desenvolvida e eficaz. Estamos lançando as bases para a futura indústria de aeronaves na Rússia ”, disse o diretor geral da UAC, Yuri Slyusar.

O caça Sukhoi Checkmate (UAC)

O processo de união das duas empresas já teve início com a transferência do corpo executivo da MiG com a Sukhoi e desta para a UAC.

O governo da Rússia alega que a Sukhoi é uma empresa lucrativa, que teve uma receita de 140 bilhões de rublos em 2020 (aumento de 46% em relação ao ano anterior), com lucro líquido de 5,6 bilhões de rublos (cerca de R$ 430 milhões).

A MiG por sua vez atingiu uma receita de 70 bilhões de rublos no ano passado, alta de 19%.

A UAC tem procurado reduzir a burocracia em sua imensa rede de fabricantes oriunda dos tempos da União Soviética a fim de melhorar a produtividade e permitir que as aeronaves russas possam se firmar no mercado.

A Sukhoi tem conseguido uma presença mais relevante graças ao novo caça steatlh Su-57, ao drone Okhotnik-B, o novo caça Checkmate, além dos seus jatos tradicionais como o Su-35 e seus derivados.

A MiG, ao contrário, tem um portfólio mais fraco em quese destaca o MiG-35, variante de exportação do MiG-29, mas que até o momento não obteve um contrato de venda.

Total
0
Shares
1 comment

Comments are closed.

Previous Post

Companhia aérea Belavia perde metade da frota por sanções

Next Post

Helicóptero Kamov Ka-62 é certificado na Rússia

Related Posts
Total
0
Share